Quarta-feira, 15 de Agosto de 2012

Na retina dos adeptos está ainda o espantoso volley que destroçou Zubizarreta e o Dream Team na elétrica final da Champions League de 1994. Atrás ficaram anos de conflitos constantes com os técnicos que o orientaram e a sensação de que Dejan Savicevic tinha passado ao lado de uma grande carreira. Naquele mágico momento "Savi" ajustou as suas contas com o passado e imortalizou-se definitivamente como o "Principe dos Balcâs".

 

Hoje é presidente da Federação de Futebol do Montenegro e continua tão polémico como há vinte anos atrás. Está no seu carácter ser conflituoso e procurar sempre o caminho mais difícil para resolver qualquer problema. Um carácter que também transparecia no seu estilo de jogo. Ao contrário do milimétrico Prosinecki ou do cerebral Boban, a Dejan o mais espantoso era complicar para depois resolver. Provocar o rival para ultrapassá-lo. Superar as expectativas e encarar cada novo jogo como uma batalha a ser ganha, de vida ou de morte.

Uma realidade que já se evidenciava quando surgiu, franzino mas com vontade de engolir o Mundo, no FK Buduconst Podgorica, equipa da sua cidade natal em Montenegro, então mais uma província da Jugoslávia. Com 16 anos arrancou a sua carreira profissional. Começou como ponta-de-lança e rapidamente foi ganhando mobilidade até se tornar um autêntico todo o terreno. Tornou-se na grande estrela do futebol de leste durante os anos 80, rivalizando já com nomes como Hagi e Lacatus, Prosinecki e Boban, Kostanidov e Stoichkov, então todos as dar os primeiros passos desportivos. Em 1988 o Estrela Vermelha de Belgrado não hesitou e juntou-o à já significativa constelação de promessas que tinha no plantel. Começava a sua idade dourada. Mas que não chegaria antes de muitos conflitos.

Em Belgrado Savicevic sofreu os primeiros revezes. Forçado a cumprir o serviço militar obrigatório, foi afastado dos trabalhos da equipa durante toda a época 1988-89 e perdeu o seu posto no onze. Entre os jogos que lhe foi permitido disputar esteve a mítica eliminatória com o AC Milan de Gullit, Rijkaard e van Basten. Fora de forma e já com problemas visíveis com a equipa técnica, Savicevic conseguiu mesmo assim surpreender Baresi e apontar o golo que parecia dar o apuramento aos jugoslavos. Só que um nevoeiro cerrado obrigou o árbitro a parar o jogo e recomeçar o encontro no dia seguinte. Os italianos lograram empatar e nos penaltys apuraram-se para conquistar o primeiro titulo da geração holandesa do Piemonte. No inicio da época seguinte Savicevic incorporou-se definitivamente e o técnico Branko Stankovic, com quem o jogador já nem trocava palavra, foi substituído por Dragoslav Sekularac. A partir daí o dianteiro arrancou para o seu melhor ano, ajudando a vencer três ligas consecutivas e ainda duas taças. O muro tinha caído e a Jugoslávia estava prestes a desmoronar-se. O avançado falhava a presença nos jogos chave da selecção devido à sua relação de amor-ódio com Ivica Osim, o seleccionador nacional. Falhou o apuramento para o Euro 88 e no Mundial de Itália foi deixado sucessivamente no banco. 

Mas se a carreira internacional corria mal, a nível interno o sucesso era absoluto. O momento alto chegou em 1991, em Bari. Numa final histórica contra o Olympique Marseille, o Estrela Vermelha contrariou todos os prognósticos e conquistou o seu único titulo de campeão europeu. A vitória permitiu a Savicevic ser coroado o melhor jovem jogador europeu e ser segundo na disputa pelo Ballon D´Or, atrás de Jean-Pierre Papin.

 

O sucesso desportivo levou rapidamente o AC Milan a apostar no sérvio como o substituto ideal para Marco van Basten, já a conta com várias lesões consecutivas. Com ele chegaram ainda Boban, Eranio, Lentini e Pappin. Uma equipa que Fabio Capello teria dificuldade em contentar com tantas estrelas a treinar diariamente em Millanello. E quando van Basten recuperou do seu primeiro grave problema, Savicevic passou imediatamente para o banco. Fez apenas 10 jogos e apontou 4 golos em 1992/1993 e a sua relação com Cappello (tal como passou com Gullit) começou a deteriorar-se. Além do mais a proibição de apresentar mais de 3 estrangeiros fazia com que uma equipa onde havia 7, o número de insatisfeitos fosse sempre elevado. O grande choque deu-se aquando da convocatória para a final da Champions de Munique, diante do Marseille. Savicevic ficou de fora e nem viajou com os companheiros. A estadia em Milão tornava-se um barril de pólvora mas subitamente Capello mudou. Passou a confiar mais no avançado e deu-lhe a titularidade do ataque na época seguinte. O jugoslavo respondeu com belas exibições e muitos golos. Il Genio, foi assim que o descreveu Berlusconi, satisfeito pela equipa não notar a ausência (definitiva) de van Basten. A noite de luxo chegou a 18 de Maio. Diante do mitico Dream Team de Johan Cruyff, o AC Milan de Berlusconi deu uma lição de futebol.

O avançado montenegrino foi o interprete perfeito e apontou um histórico hat-trick a Zubizarreta, dando ao AC Milan a sua terceira Champions em oito anos.

O ano seguinte foi negro para o Milan. Mau desempenho doméstico e derrota na final da Champions com o Ajax. Savicevic não jogou por estar lesionado, apesar do jogador ter insistido até ao último minuto que podia actuar. A equipa italiana começava a perder protagonismo para a Juventus e a veterania do plantel começava a fazer-se notar. O dianteiro voltou ao banco e deixou de ter as mesmas oportunidades. Era visto como um elemento a substituir e a chegada de George Weah apressou a sua saída. Voltou a casa, ao Estrela Vermelha, mas apenas ficou um ano na equipa que o lançou ao estrelato. Depois de dois anos no Rapid Wien decidiu parar, definitivamente. Mas continuou ligado ao futebol e dois anos depois de retirar-se foi nomeado seleccionador da Sérvia-Montenegro. Falhou a qualificação para o Mundial de 2002 e para o Euro 2004 e acabou por ser substituído. Mas não antes de se envolver em várias disputas politicas, tornando-se num dos rostos da independência montenegrina. Quando o país finalmente conseguiu separar-se da Sérvia, rapidamente Savicevic ocupou o posto de presidente da Federação de futebol, entrando em confronto directo com os dirigentes sérvios. Em Podgorica, continua a ser o filho predilecto de maior renome. Um ídolo.

 

Enquanto Prosinecki preferiu brilhar em Espanha, Savicevic seguiu o rumo da maioria dos jogadores jugoslavos mostrando o perfume do seu futebol na vizinha Itália. No entanto a história do futebol lembrar-se-á sempre primeiro da notável formação do Estrela Vermelha e daquele rebelde irrequieto que durante dez anos foi um dos mais letais executantes da história do beautiful game.



Miguel Lourenço Pereira às 14:53 | link do post | comentar

2 comentários:
De ganhar dinheiro na internet a 16 de Agosto de 2012 às 01:12
Grande jogador que vai ficar na memória de todos nós.


De Miguel Lourenço Pereira a 17 de Agosto de 2012 às 01:47
Um dos melhores jogadores do futebol de leste dos últimos 40 anos, sem margem para dúvidas!

um abraço


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO