Domingo, 3 de Junho de 2012

Organizar um Europeu em dois países que não são candidatos claros ao trofeu tem destas coisas. Um sorteio que nos proporciona talvez o grupo mais acessível e equilibrado da história dos Europeus, sem um claro favorito para seguir para os Quartos de Final. Aberto a tudo e todos, aos sonhos dos locais e às aspirações dos gregos, à ambição russa e ao silencioso projecto checo, nunca foi tão dificil imaginar o que se poderá passar no grupo que abre o torneio.

 

Em 2008 a Áustria e a Suiça defrontaram Alemanha e Portugal. Em 2000 à Bélgica calhou a fava chamada Itália. 

Os polacos vivem ainda num estado de ansiedade mista. Por um lado agradecem a um sorteio que lhes evitou um dos tubarões do futebol do Velho Continente, como Alemanha, Itália, França ou Inglaterra, ou favoritos crónicos como Espanha, Holanda e até mesmo Portugal. Mas, por outro lado, há uma sensação de desconfiança profunda. Não seguir em frente, diante dos seus, num grupo com Grécia, Rússia e República Checa mais se parece com um presente envenenado. E os polacos estão habituados a ser enganados.

Fransizcec Smuda sabe-o tão bem como qualquer outro e o jogo inaugural com a Grécia será a verdadeira vara de medir de uma selecção que nos últimos dez anos apenas logrou participar em dois Mundiais (2002 e 2006, sem deixar boa imagem) e o último Europeu (último de grupo) que dista muito da imagem de potência histórica que se forjou nos anos 70. Esta Polónia é, a par da Áustria de 2008, o anfitrião mais dócil da história e é contra esse quase fatalismo que os polacos irão jogar. O apoio do público será massivo e os homens da casa contam com um dianteiro inspirado como Lewandowski para abrir as fechadas defesas de gregos e checos. Mas olhando para os eleitos de Smuda e fica a clara sensação de que falta algo mais para que a Polónia sonhe em ir mais longe. Apesar do talento evidente de Szczesny e Piszczek, há poucas alternativas para montar um onze de alto nível e muitos suspeitam - e não sem razão - que dificilmente a Polónia marcaria presença no torneio se não jogassem em casa. 

Do outro lado do espelho vive a Grécia. Se há qualquer selecção que sabe o que é contrariar as fatalidades históricas, essa é a Grécia.

Seguramente que o projecto de Fernando Santos não é o mesmo de Otto Rehagel. Mas entretanto não mudaram muitos dos jogadores, grande parte da filosofia de jogo é a mesma e, sobretudo, o que continua igual é a fortíssima resistência mental dos helénicos, que venceram um grupo frente a uma superior Croácia mantendo-se fiel ao seu ideário. A aposta no colectivo faz esquecer que à Polónia não chegam individualidades capazes de desequilibrar. Os gregos continuam com um problema na criação de jogo mas mantêm um bloco defensivo forte, apoiado no tremendo talento de Papadoupoulos, mas do meio-campo para a frente Karagounis, Salpingidis, Charisteas, Katsouranis e Samaras continuam a ser os nomes próprios. Pouco para quem quer repetir um brilharete, talvez suficiente para sonhar com outras surpresa. No estado de sitio em que vive o país, será curioso ver como o futebol, mais uma vez, pode funcionar como catarsis ou catalisador da asfixia social.

 

Num torneio disputado na Europa de Leste e com um grupo onde todas as equipas estão a leste da antiga cortina de ferro (apesar do posicionamento ideológico grego nunca ter entrado nessas contas por culpa de manobras de bastidores) parecia inevitável que a Rússia fosse o cabeça de cartaz moral.

Os russos chegam com legitimas aspirações de repetir o brilharete de 2008, onde alcançaram as meias-finais caindo apenas diante da Espanha. Advocaat não é Hiddink, com esse dedo de midas que sempre caracterizou o holandês, mas não deixa de ser um técnico competente e com um bom historial às costas. Vencer o grupo parece ser o objectivo mínimo dos russos e depois sonhar com ir percorrendo o leste europeu com o à vontade com que se moviam as altas dignidades soviéticas durante a Guerra Fria, terminando a marcha em Kiev. É evidente que para isso Advocaat precisa de ver a melhor versão dos magnificos jogadores que fizeram o quase milagre de 2008 possível e que, a partir daí, se entretiveram a destruir cada uma das suas carreiras individuais. Andrei Arshavin, Roman Pavluychenko, Igor Shemshov já não são os mesmos. Yuri Zhirkov já não entra nestas contas e Beretzusky e Ignatsievich contam com mais quatro duros anos nas pernas. Na convocatória russa a juventude não é a grande novidade e apesar do génio contrastado de Dzagoev e Akinfeev, poucas alternativas têm os russos de surpreender a partir do banco. Advocaat, que já anunciou que deixará a selecção para voltar ao seu PSV, preferiu rodear-se de veterania absoluta para vencer um grupo acessível e cumprir as expectativas mínimas de uma federação que tem investido muito dinheiro para preparar uma equipa que possa disputar o titulo mundial no Mundial de 2018.

 

Patinho feio do grupo, os checos chegam sem expectativas e ambição à Polónia. Uma situação onde se sentem, habitualmente, bastante cómodos. Foi assim em 1996 e em 2004, quando obtiveram os seus melhores resultados internacionais. A geração de Bruckner deu passo a uma nova etapa de talentos que não estão ao mesmo nível individual (Poborsky, Berger, Nedved, Koller) mas que funciona bem como colectivo. Bilek, o seleccionador, conta com um misto de veterania (Rosicky, Cech, Suchy, Baros, Kadlec) com a promessa futura de Necid, Selassie, Kolai e Rajtoral. Os checos não são favoritos para seguir em frente e arrancam com o jogo mais difícil, frente aos russos. A partir desse momento inaugural, sem pressão, tudo pode suceder e os checos são hábeis nesse departamento.

 

O grupo que abre o torneio no próximo dia 7 é um enigma. Os polacos jogam com o efeito casa e pouco mais, os checos com a ousadia das grandes noites e os russos e gregos, que já sabem o que é ganhar um Europeu, com o peso da história. Entre os quatro seguem em frente os adversários que todos gostariam de defrontar nos Quartos de Final. Mas quem segue provas como esta sabe bem que o que parece uma coisa no papel no relvado transforma-se totalmente.

 

O Em Jogo aposta

1º Rússia

2º Grécia 


Categorias: , ,

publicado por Miguel Lourenço Pereira às 00:29 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Últimos Comentários
Thank you for some other informative web site. Whe...
Só espero que os Merengues consigam levar a melhor...
O Universo do Desporto é um projeto com quase cinc...
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
arquivos

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

.Em Destaque


UEFA Champions League

UEFA Europe League

Liga Sagres

Premier League

La Liga

Serie A

Bundesliga

Ligue 1
.Do Autor
Cinema
.Blogs Futebol
4-4-2
4-3-3
Brigada Azul
Busca Talentos
Catenaccio
Descubre Promesas
Desporto e Lazer Online
El Enganche
El Fichaje Estrella
Finta e Remate
Futebol Artte
Futebolar
Futebolês
Futebol Finance
Futebol PT
Futebol Total
Jogo de Área
Jogo Directo
Las Claves de Johan Cruyff
Lateral Esquerdo
Livre Indirecto
Ojeador Internacional
Olheiros.net
Olheiros Ao Serviço
O Mais Credível
Perlas del Futbol
Planeta de Futebol
Portistas de Bancada
Porto em Formação
Primeiro Toque
Reflexão Portista
Relvado
Treinador de Futebol
Ze do Boné
Zero Zero

Outros Blogs...

A Flauta Mágica
A Cidade Surpreendente
Avesso dos Ponteiros
Despertar da Mente
E Deus Criou a Mulher
Renovar o Porto
My SenSeS
.Futebol Nacional

ORGANISMOS
Federeção Portuguesa Futebol
APAF
ANTF
Sindicato Jogadores

CLUBES
Futebol Clube do Porto
Sporting CP
SL Benfica
SC Braga
Nacional Madeira
Maritimo SC
Vitória SC
Leixões
Vitoria Setúbal
Paços de Ferreira
União de Leiria
Olhanense
Académica Coimbra
Belenenses
Naval 1 de Maio
Rio Ave
.Imprensa

IMPRENSA PORTUGUESA DESPORTIVA
O Jogo
A Bola
Record
Infordesporto
Mais Futebol

IMPRENSA PORTUGUESA GENERALISTA
Publico
Jornal de Noticias
Diario de Noticias

TV PORTUGUESA
RTP
SIC
TVI
Sport TV
Golo TV

RADIOS PORTUGUESAS
TSF
Rádio Renascença
Antena 1


INGLATERRA
Times
Evening Standard
World Soccer
BBC
Sky News
ITV
Manchester United Live Stream

FRANÇA
France Football
Onze
L´Equipe
Le Monde
Liberation

ITALIA
Gazzeta dello Sport
Corriere dello Sport

ESPANHA
Marca
As
Mundo Deportivo
Sport
El Mundo
El Pais
La Vanguardia
Don Balon

ALEMANHA
Kicker

BRASIL
Globo
Gazeta Esportiva
Categorias

a gloriosa era dos managers

a historia dos mundiais

adeptos

africa

alemanha

america do sul

analise

argentina

artistas

balon d´or

barcelona

bayern munchen

biografias

bota de ouro

braga

brasileirão

bundesliga

calcio

can

champions league

colaboraçoes

copa america

corrupção

curiosidades

defesas

dinamarca

economia

em jogo

entrevistas

equipamentos

eredevise

espanha

euro 2008

euro 2012

euro sub21

euro2016

europe league

europeus

extremos

fc porto

fifa

fifa award

finanças

formação

futebol internacional

futebol magazine

futebol nacional

futebol portugues

goleadores

guarda-redes

historia

historicos

jovens promessas

la liga

liga belga

liga escocesa

liga espanhola

liga europa

liga sagres

liga ucraniana

liga vitalis

ligas europeias

ligue 1

livros

manchester united

medios

mercado

mundiais

mundial 2010

mundial 2014

mundial 2018/2022

mundial de clubes

mundial sub-20

noites europeias

nostalgia

obituário

onze do ano

opinião

polemica

politica

portugal

premier league

premios

real madrid

santuários

seleção

selecções

serie a

sl benfica

sociedade

south africa stop

sporting

taça confederações

taça portugal

taça uefa

tactica

treinadores

treino

ucrania

uefa

todas as tags

subscrever feeds