Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Ontem, pela primeira vez na sua curta e bem sucedida carreira, Guardiola deu a sensação de sentir uma brisa de medo a passear diante de si no relvado do Emirates Stadium. E entregou o jogo e talvez a eliminatória a uma equipa que estava amorfa e que se manteve de pé, estoicamente, graças ao génio e esforço de Jack Whilshire. O médio foi a grande diferença do Arsenal do ano passado para este, uma equipa sem medo de faltar ao respeito ao icónico Barça.

 

 

 

Talvez não seja casualidade que Pep Guardiola ainda não saiba o que é ganhar um jogo a eliminar da Champions League fora de casa.

Aqueles que sugerem que o técnico catalão, apesar de funcionar perfeitamente no seu clube do coração, teria dificuldade em trabalhar noutros cenários, têm aqui um argumento a seu favor. E já lá vão sete jogos (Lyon, Munique, Londres por três vezes e Milão) O mesmo se pode dizer do genial Leo Messi que, pela sexta vez saiu de Inglaterra sem marcar um golo. O ano passado compensou-o com a notável performance em Camp Nou. E é a isso que os blaugrana sempre se agarram. O seu feudo intransponível, onde ninguém praticamente consegue marcar mais do que um só golo, tem garantido o estatuto de favorito ao campeão espanhol. Mas a sua fragilidade fora de casa ficou, uma vez mais, a nu. E, pela primeira vez, também as opções do seu mentor.

Guardiola decidiu o jogo no momento em que retirou David Villa - autor do único golo e um dos mais lutadores no ataque - e lançou Seydou Keita para fechar o miolo e aprofundar ainda o mais o jogo de toque curto na linha média. Até esse momento a equipa catalã tinha sido, sem dúvida, a melhor sobre o terreno. Depois de um arranque fulminante do Arsenal, avisado pela meia-hora inicial do duelo do ano transacto (talvez a melhor primeira hora da história do futebol), o Barcelona tomou conta do jogo e começou a predicar a sua filosofia: passa e dá, passa e dá, passa e dá, rondo, rondo, rondo...até à exaustão alheia.

A defesa do Arsenal, claramente o seu sector mais débil, procurou jogar adiantada, criando um vácuo entre a bola e o jovem polaco Scezseny, uma das grandes promessas de Ilsington. Espaço aproveitado por três vezes pelo ataque blaugrana. Messi falhou duas vezes, Villa não perdoou. Só a labor de Jack Whilshire - 19 anos, para quem se esqueça - tapava os buracos deixados por um Cesc Fabregas apático e um Alexander Song de cabeça perdida. No ataque, depois dos raios iniciais, nem Nasri nem Walcott encontravam espaços para combinar com van Persie. O jogo era mais lento, mais pausado, mais aborrecido do que o ano transacto. Mas isso ao Barça preocupava pouco, jogava com o seu ritmo.

 

E depois veio o medo, ou pelo menos o mais parecido a isso que se viu sair da mente do Seny catalão.

Trocar o 4-4-3 ofensivo por um mais defensivo, com Iniesta escorado a um flanco (no outro andou, sempre desaparecido, Pedro) e Messi a vir buscar a bola aos pés de Xavi na linha de meio-campo, deu ar a um Arsenal agónico. O francês Wenger - até então tão apático como o seu capitão no terreno de jogo - lançou Arshavin e Bendtner para alargar o campo e a jogada surtiu efeito.

Se até então o Barcelona tinha procurado as laterais para desatascar o jogo central onde Whilshire, quase só, aguentava com Xavi e Iniesta, o Arsenal procurou precisamente o mesmo espaço para fazer a diferença. Clichy - apagadíssimo como sempre - encontrou van Persie que disparou sem hipóteses para um Valdés incapaz de imaginar que o genial holandês encontraria o buraco da agulha. Poucos minutos depois foi a vez de Fabregas encontrar Nasri que soube esperar e iludir a defesa blaugrana, entregando a bola para um Arshavin em movimento de apoio que não hesitou em bombardear para o 2-1. Uma reviravolta inesperada mas que honrava à única equipa que procurou atacar na segunda parte. O Barcelona preferiu gastar menos oxigénio e segurar o resultado e perdeu o norte. Messi, numa das suas noites mais desastradas, nunca conseguiu fazer a diferença e nem Maxwell nem Alves tiveram arte para abrir o campo e encontrar espaços na defesa gunner.

No entanto, a diferença, chamou-se Whilshire. O jovem internacional inglês o ano passado estava em Bolton, a madurar. Este ano apresentou a face do Arsenal que há muito não se via. Olhou nos olhos de Xavi e não lhe mostrou o respeito serviçal que o génio de Terrasa encontra. Deparou-se com o génio de Iniesta e soube como travá-lo com movimentos simples. E, no meio de tudo, soube encontrar forças para apoiar as rápidas transições ofensivas de Nasri, Walcott e Arshavin. Foi um verdadeiro pulmão no miolo e uma botija de oxigénio moral para um clube que se empequenecia sempre que o destino o fazia defrontar a sua particular nemésis europeia. Depois de seis jogos (2000, 2006, 2010), finalmente uma vitória. Uma vitória de Pirro, se os gunners não souberem repetir, pelo menos, a mesma atitude da meia hora final no dia 8 de Março. O golo de Villa pode valer ouro e é nesse tipo de situações que os blaugrana se sentem realmente cómodos.

 

 

 

Com Fabregas a pensar, provavelmente, no seu futuro em Can Barça, o futuro do Arsenal pareceu mais risonho do que nunca. Whilshire está preparado para recolher o testemunho (como fez o catalão com Henry há quatro anos) e pautar o ritmo do futuro projecto de Wenger, agora sem tantas restrições financeiras para trabalhar o mercado. Uma equipa extremamente jovem (23 anos de média) e com uma garra inaudita (terreno até hoje reservado, em Inglaterra, a Chelsea e Man Utd), este Arsenal pode sonhar com legitimidade. Mas sabe que vai mergulhar numa cova de leões de uma equipa celestial que se sente bem melhor quando está acompanhada pelo seu coro de querubins nesse santuário divino que se chama Camp Nou



publicado por Miguel Lourenço Pereira às 11:28 | link do post

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Últimos Comentários
Thank you for some other informative web site. Whe...
Só espero que os Merengues consigam levar a melhor...
O Universo do Desporto é um projeto com quase cinc...
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
arquivos

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

.Em Destaque


UEFA Champions League

UEFA Europe League

Liga Sagres

Premier League

La Liga

Serie A

Bundesliga

Ligue 1
.Do Autor
Cinema
.Blogs Futebol
4-4-2
4-3-3
Brigada Azul
Busca Talentos
Catenaccio
Descubre Promesas
Desporto e Lazer Online
El Enganche
El Fichaje Estrella
Finta e Remate
Futebol Artte
Futebolar
Futebolês
Futebol Finance
Futebol PT
Futebol Total
Jogo de Área
Jogo Directo
Las Claves de Johan Cruyff
Lateral Esquerdo
Livre Indirecto
Ojeador Internacional
Olheiros.net
Olheiros Ao Serviço
O Mais Credível
Perlas del Futbol
Planeta de Futebol
Portistas de Bancada
Porto em Formação
Primeiro Toque
Reflexão Portista
Relvado
Treinador de Futebol
Ze do Boné
Zero Zero

Outros Blogs...

A Flauta Mágica
A Cidade Surpreendente
Avesso dos Ponteiros
Despertar da Mente
E Deus Criou a Mulher
Renovar o Porto
My SenSeS
.Futebol Nacional

ORGANISMOS
Federeção Portuguesa Futebol
APAF
ANTF
Sindicato Jogadores

CLUBES
Futebol Clube do Porto
Sporting CP
SL Benfica
SC Braga
Nacional Madeira
Maritimo SC
Vitória SC
Leixões
Vitoria Setúbal
Paços de Ferreira
União de Leiria
Olhanense
Académica Coimbra
Belenenses
Naval 1 de Maio
Rio Ave
.Imprensa

IMPRENSA PORTUGUESA DESPORTIVA
O Jogo
A Bola
Record
Infordesporto
Mais Futebol

IMPRENSA PORTUGUESA GENERALISTA
Publico
Jornal de Noticias
Diario de Noticias

TV PORTUGUESA
RTP
SIC
TVI
Sport TV
Golo TV

RADIOS PORTUGUESAS
TSF
Rádio Renascença
Antena 1


INGLATERRA
Times
Evening Standard
World Soccer
BBC
Sky News
ITV
Manchester United Live Stream

FRANÇA
France Football
Onze
L´Equipe
Le Monde
Liberation

ITALIA
Gazzeta dello Sport
Corriere dello Sport

ESPANHA
Marca
As
Mundo Deportivo
Sport
El Mundo
El Pais
La Vanguardia
Don Balon

ALEMANHA
Kicker

BRASIL
Globo
Gazeta Esportiva
Categorias

a gloriosa era dos managers

a historia dos mundiais

adeptos

africa

alemanha

america do sul

analise

argentina

artistas

balon d´or

barcelona

bayern munchen

biografias

bota de ouro

braga

brasileirão

bundesliga

calcio

can

champions league

colaboraçoes

copa america

corrupção

curiosidades

defesas

dinamarca

economia

em jogo

entrevistas

equipamentos

eredevise

espanha

euro 2008

euro 2012

euro sub21

euro2016

europe league

europeus

extremos

fc porto

fifa

fifa award

finanças

formação

futebol internacional

futebol magazine

futebol nacional

futebol portugues

goleadores

guarda-redes

historia

historicos

jovens promessas

la liga

liga belga

liga escocesa

liga espanhola

liga europa

liga sagres

liga ucraniana

liga vitalis

ligas europeias

ligue 1

livros

manchester united

medios

mercado

mundiais

mundial 2010

mundial 2014

mundial 2018/2022

mundial de clubes

mundial sub-20

noites europeias

nostalgia

obituário

onze do ano

opinião

polemica

politica

portugal

premier league

premios

real madrid

santuários

seleção

selecções

serie a

sl benfica

sociedade

south africa stop

sporting

taça confederações

taça portugal

taça uefa

tactica

treinadores

treino

ucrania

uefa

todas as tags

subscrever feeds