Segunda-feira, 14 de Maio de 2012

Numa mesma semana a liga italiana sofre uma profunda metamorfose moral. Velhos bastiões, simbolos dos anos gloriosos de uma liga que tem vivido a alguma década em profunda decadência, anunciam o seu adeus, ora do clube de largos anos ora do futebol em geral. Muitos rostos que ajudaram a manter o perfil alto da competição que abrem caminho a uma nova geração que terá a dificil missão de superar os simbolos de uma época dourada.

Alessandro Del Piero. Gennaro Gattuso. Alessandro Nesta. Clarence Seedorf. Mark van Bommel. Kakha Kaladze. Filipo Inzaghi.  

A lista parece infindável. Não é habitual no final do mesmo ano tantos nomes ilustres dizerem adeus. Prova de que o Calcio há muito que é uma prova agarrada ao passado. Neste listado de estrelas estão campeões do Mundo, emblemas da equipa que em 2006 venceu, contra todo o prognóstico, o Mundial de Futebol. Estão estrangeiros de renome que deram outro brilho a uma prova que se habituou a perder as suas estrelas mais cintilantes para a Premier e a La Liga. No fim de contas, nomes que definem uma era.

O adeus mais doloroso será, sem dúvida, o de Del Piero.

O avançado nunca jogou noutro clube, caso único no Calcio depois do adeus de Paolo Maldini. Foi campeão de Itália, da Europa e do Mundo com a Juventus. E um dos heróis que aguentaram a descida à Serie B e ganharam direito a celebrar o titulo de campeões este ano com Antonio Conte ao leme. Del Piero já sabia, antes da época começar, que este seria o seu último ano. Muito se especulou sobre o seu destino, nada ficou claro, mas a certeza é que a história de amor de quase 20 anos à Vechia Signora, e ao Calcio, termina aqui. Com a braçadeira e o titulo na mão.

De certa forma a outra despedida que mais doi aos adeptos é a de Filippo Inzaghi. Até à bem pouco tempo era o avançado com mais golos na história das competições europeias. A sua veia goleadora não tem igual no panorama internacional e "Pippo" emergiu para a posteridade como um digno sucessor de Piola ou Rossi como verdadeiro matador de área à italiana. Os problemas fisicos há muito que o atormenteram, mas a poção da eterna juventude que se distribuiu em Milanello sempre permitir sonhar com um ano mais. Inzaghi é da mesma geração de Del Piero e depois da sua passagem por Verona e Atalanta,  ambos foram colegas na Juventus. Quando o clube turinês preferiu apostar numa linha ofensiva rejuvenescida, Inzaghi acabou em Milão ao serviço dos rossoneri. Durante mais de dez anos foi o avançado perfeito, nunca queixando-se do trato preferencial a outros jogadores, sempre pronto a aproveitar todas as oportunidades. Ambos eram o que resta do mágico Calcio dos anos 90, altura em que a prova ainda era a mais admirada do futebol internacional.

 

Mas se Inzaghi e Del Piero são espelhos dessa era, Alessandro Nesta e Gennaro Gattuso são metamorfoses perfeitas do que foi e no que se tornou a Serie A.

O defesa central começou a sua carreira fulgurante na AS Lazio, confirmando-se rapidamente como um dos mais espectaculares centrais do futebol europeu, um titulo dificil de contestar numa era onde os laziale eram um conjunto a temer. O AC Milan apareceu com uma proposta irrecusável e Nesta juntou-se à constelação de estrelas rossoneri mas nunca se exibiu em Milão ao mesmo nivel que logrou no Olimpico. A mudança dos parceiros na defesa e as sucessivas lesões foram lastrando o final de uma carreira que prometia algo mais. Se o curriculum é impressionante e dificil de igualar, a sensação que Nesta dava de há alguns anos era que o final da sua ligação ao Milan era algo mais do que iminente. O defesa não sabe se seguirá em Itália, se procurará o dinheiro fácil do Medio Oriente ou, como é mais provável, se provará a MLS. Uma decisão que contrasta com a do seu, até agora, colega de equipa. Gennaro Gattuso é, para muitos adeptos, o icone perfeito do Calcio do século XXI.

Mais raça do que talento, mais instinto do que criatividade, mais defesa do que ataque, mas sempre a mesma determinação e devoção, Gattuso é um jogador dificil de não se gostar profundamente. Começou por baixo, passou pela Escócia onde se casou e foi feliz e entrou de novo no futebol italiano como baluarte do AC Milan de tracção dianteira de Shevchenko, Inzaghi, Rui Costa e Kaká. Deu o equilibro fundamental ao conjunto milanês que em dez anos chegou a três finais europeias e foi um dos jogadores mais importantes da Azzura que venceu na Alemanha o Mundial. À medida que foi perdendo os companheiros de associação (Kaká primeiro, Pirlo depois), o seu jogo viu-se claramente afectado e Gattuso tornou-se num ente estranho num meio-campo de remendos. O seu problema de visão soava já como despedida, o final da época confirmou as suspeitas. Glasgow seria o seu destino mais do que provável mas os enormes problemas financeiros do Rangers deixa a transferência em suspenso até que se aclare o que vai suceder com o seu antigo clube em terras escocesas. 

Quanto à legião de estrangeiros do Calcio, seguramente a saída mais marcante é a de Seedorf. O holandês van Bommel volta ao PSV Eindhoven, onde para ele tudo começou naquela magnifica geração liderada por van Nistelrooy e Guus Hiddink, e Kaladze troca a bola pelo boletim de voto e mergulha na politica georgiana de corpo e alma. Seedorf, talvez o jogador mais subvalorizado do futebol europeu das últimas duas décadas, tem a palavra. Aquele que foi o único jogador a vencer uma Champions League com três equipas distintas (Ajax, Real Madrid e AC Milan, quatro em total) demonstrou ao longo do ano que tem ainda qualidade suficiente para fazer a diferença onde quer que jogue. Mas as pernas já não são as mesmas, o desgaste fisico da alta roda faz-se notar e o seu caracter exige desafios. Fala-se numa eventual experiência no Brasil, numa viagem aos Estados Unidos ou num regresso ao Ajax. Em qualquer um dos casos, Seedorf continuará a ser um dos grandes.

 

Sem o peso dos velhos nomes surge a hora das novas gerações do futebol italiano darem um passo em frente. Montolivo chega a Milão para ser o novo Pirlo. Marchisio começa a dar cartas em Turim. O talento de Giovinco, Motta, Bonucci, Nocerino, Lazzari, Balzaretti, Pepe, Chiellini, Marilungo, Schelloto é suficiente para rearmar uma nova vaga. E com ela lançar as bases de um renascimento profundo do futebol italiano.  



Miguel Lourenço Pereira às 18:39 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO