Segunda-feira, 5 de Março de 2012

Na fechada sociedade espanhola, onde o nacionalismo profundo ainda funciona como arma de arremesso e defesa, várias vezes a frase “se não fosse espanhol” refere-se a nomes nacionais que não conseguem, fora de portas, o mesmo impacto mediático. Poucas vezes têm razão, mas com Iker Muniain é preciso fazer uma excepção. A explosão e génio do jovem basco é seguramente um desses momentos que no futuro será recordada em perspectiva como o principio de algo verdadeiramente grande!

 

Muitos lembram-se do primeiro jogo de Raúl, em Zaragoza.

Ou do aparecimento de Fernando Torres do nada num Atlético de Madrid em ebulição. Há certamente mais gente que jure a pé juntos ter visto o primeiro jogo de Andrés Iniesta do que a que realmente viu. Iker Muniain começa a entrar nesse capitulo de lendas e mitos do futebol espanhol. Com 19 anos tem todas as condições para ser um dos jogadores mais desiquilibrantes do futebol europeu. Espanha seguramente será demasiado pequena para a memória futuro da sua aventura futebolistica.

Num país que aprendeu a glorificar o futebol de toque curto, o tiki-taka idealizado por Andrés Montés e levado à prática pelos homens de Aragonés em 2008, começam a escassear os génios rebeldes, irreverentes e profundamente verticais. Muniain é o último filho dessa escola que em Barcelona, por exemplo, significa a diferença entre o jogo de Lionel Messi e a orquestra que o rodeia. Muniain transmite as mesmas sensações do argentino, a mesma precocidade e o mesmo crescimento táctico ao lado de uma orquestra que Bielsa, como Guardiola, ajudou a montar. Com Ander Herrera, Oscar de Marcos, Javi Martinez e Fernando Llorente, o jovem extremo, falso avançado, vendedor de sonhos, transformou San Mamés num dos locais obrigatórios de passagem para os amantes do futebol puro de ataque. As suas trepidantes diagonais, desafiando cada defesa para um duelo de espada com hora marcada, rasgam as tácticas mais maleáveis e desafiam a pura lógica. A sua chamada à selecção principal, na convocatória que será a ante-camara do próximo Europeu, não é só justa e tardia, como também elucidativa do seu impacto real num plantel que, com o alemão, é actualmente o mais exigente do Mundo.

 

Sobre as origens e expectativas que despertava Muniain nos seus principios, escrevemos aqui, em 2008.

Passaram três anos e a promessa fez-se certeza, o descaro fez-se confiança e os minutos transformaram-se em titularidades inquestionáveis. Muniain ajudou a revolucionar o estatuto de um Athletic Bilbao em baixa e a relançar o impacto social de um clube que é, efectivamente, o terceiro grande de Espanha.

No palco europeu tem transformado a sua classe em arma decisiva e o próximo duelo, frente ao Manchester United, parece mais equilibrado do que nunca graças a ele. Talvez porque os Red Devils, salvo Wayne Rooney, não contem com um jogador tão apaixonante como ele. Talvez porque o seu estilo de jogo lembra, cada vez mais, o de grandes heróis pretéritos da Premier League. Se em Espanha o estilo de Muniain ainda é olhado relativamente de lado – por contraposição à calma de Iniesta, Xavi, Silva e companhia – em Inglaterra o seu estilo de jogo encaixa perfeitamente com o ideário local. Não é por acaso que, mais de 100 anos depois, San Mamés continua a ser um campo iminentemente britânico, tanto na forma como na essência.

Dentro desse espectro moral o crescimento desportivo do número 19 do Athletic Bilbao levanta as mesmas dúvidas que, em algum momento, passam pelos nomes que destacam na “Catedral”. O mesmo passou a Julen Guerrero, no seu flamante aparecimento. A vontade de um clube que apenas emprega jogadores bascos em manter a sua maior estrela já ficou evidente nos sucessivos acossos a Fernando Llorente. Dificilmente o clube mudará a sua posição com Muniain com quem o riojano forma uma dupla letal o que implica um aumento considerável do seu preço de mercado e a possibilidade real de que nos próximos anos o extremo se mantenha como rojiblanco. Uma realidade que o próprio jogador não parece desdenhar, sabendo que em San Mamés tem a tranquilidade necessária para ir sempre um pouco mais além a cada jogo, sem o peso dos focos mediáticos que acossam outros dos grandes nomes da cantera espanhola.

 

O público espanhol tem certa tendência em cair no excesso de vitimismo, mas a verdade é que na Europa se escreveu muito menos sobre Muniain que sobre Gotze, Hazard, Balotelli, Neymar, Thiago ou Whilshere, talvez o sexteto de jovens promessas internacionais mais fascinantes. E, no entanto, vendo-o jogar, é dificil acreditar que o basco está longe desse nivel máximo de expectativa e certeza. Muniain está claramente entre a elite do futebol mundial e como sucedeu com os grandes nomes saídos da formação espanhola, o seu estatuto de estrela da próxima década parece, definitivamente, assegurado.



Miguel Lourenço Pereira às 12:09 | link do post | comentar

3 comentários:
De filomeno a 6 de Março de 2012 às 17:36
España nunca ha dado grandes futbolistas. Portugal, sí (Eusebio, Joao Alves, Paulo Futre, Figo, Cristiano Ronaldo.......)Abrazo.


De Miguel Lourenço Pereira a 7 de Março de 2012 às 12:48
Filomeno,

Suarez, Butrageño, Hierro, Xavi, Iniesta...


De filomeno a 7 de Março de 2012 às 15:55
El gallego Luis Suárez y Del Sol, aceptados (jugaron en el Calcio). Toñito, que jugó en Portugal........


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO