Quarta-feira, 25 de Maio de 2011

Reedição da final de Roma em 2009 mas numa conjuntura distinta. A noite que transformou a vida do Barcelona de Guardiola significou também uma profunda mudança de ciclo em Old Trafford. Duas temporadas depois os dois clubes mais importantes do futebol europeu da última década reencontram-se para esgrimir argumentos. O Barça agora é favorito, o Man Utd agora é mais equipa, o duelo promete ser apaixonante.

 

Em Roma o Manchester United chegava como campeão em titulo e máximo favorito. Perdeu.

Confirmou-se a maldição do AC Milan de Sacchi, último conjunto a reter o máximo troféu europeu, mas sobretudo confirmou-se a magia de uma equipa orquestrada magistralmente pelo estreante Pep Guardiola. Num jogo em que os blaugrana dominaram de forma impressionante, o Barcelona sacou o seu melhor rosto, aquele que iria fazer história nas duas épocas seguintes em Espanha e que acabaria por maravilhar o mundo. Etoo, já proscrito, e Messi, já erigido em figura divina, fizeram os golos face a um Man Utd pálido, inexpressivo e demasiado pendente do jogo de Cristiano Ronaldo, o único que tentou remar contra a maré. Foi o fim de um ciclo histórico em Old Trafford e o inicio de outro, glorioso, em Camp Nou. O Barcelona não revalidou o trofeu mas começou a impor a sua lei na liga espanhola e, sobretudo, a definir o estilo que hoje mais admiradores tem entre os adeptos futebolisticos por esse mundo fora. Um estilo de jogo rendilhado, inspirado na posse de bola, e com um pressing defensivo asfixiante. Foi a final de Puyol e Pique - com Touré de central pela ausência de Alves - a final de Busquets, um pilar no miolo, mas também a das combinações sem fim entre Iniesta e Xavi. No ataque Messi ainda era extremo, Henry ainda por lá andava e Etoo abriu o caminho da glória, uma vez mais. É aí, no sector ofensivo, que o Barcelona mais se diferencia neste segundo round, agora em Londres.

A velocidade de Pedro e Villa, jogadores que irão colocar à prova os rins de Evra e (previsivelmente) O´Shea, será chave na estratégia de Guardiola que recriou com Messi o posicionamento pretérito de Maradona, Cruyff, Charlton e Hidgekuti, como falso dianteiro, um dandy no miolo que terá em Fletcher a sua sombra. Este Barcelona não tem o mesmo efeito surpresa daquela magnifica equipa mas não deixa de ser, justamente, considerado o favorito. Um peso que o Manchester não terá de carregar.

 

Ferguson quer ser o primeiro técnico a vencer três Champions League e terá poucas oportunidades de lograr o feito.

Ele sabe-o e quando saiu derrotado à dois anos começou a trabalhar nesse sentido. Sem Ronaldo e Tevez, apostou no espirito guerreiro dos seus jogadores de classe média. Elevou Park Ji-Sung, recrutou Valencia, deu minutos a Berbatov, impediu Giggs e Scholes de dizerem adeus e confiou na capacidade de liderança de Rooney. Montou uma equipa que se assemelha, e muito, à filosofia do seu primeiro conjunto ganhador, no inicio dos anos 90. Tem várias opções para apresentar uma cara mais ofensiva (com Nani, Valencia, Chicharito, Rooney, Berbatov....) ou mais especulativa (reforçando o miolo com Anderson, Carrick, Fletcher, Scholes ou Park). Poucas equipas podem presumir de ter um fundo de armário tão impactante e que permitem mudar, de um momento para o outro, a postura no terreno de jogo.

O jogo contra o Arsenal nos quartos de final da FA Cup e a eliminatória frente ao Chelsea são, quiça, o melhor espelho do que esperar. Uma equipa segura atrás, com critério a sair a jogar e acutilante à frente. A defesa é o maior quebra-cabeças do técnico escocês que tem em Ferdinand e O´Shea duas dúvidas sérias que preencher (e Rafael ou Evans como opções) para acompanhar Evra, Vidic e um van der Saar que se despede com o ensejo de ganhar a sua terceira "orelhona". Daí para a frente a especulação.

Contra um meio-campo de três que, realmente, é de cinco, com as subidas de Alves e Pique, primordiais na saída de jogo do Barça, talvez se espere o musculo de Fletcher, o posicionamento de Carrick e o espirito de luta de Park. Com Rooney, Valencia e Berbatov no ataque. O técnico já provou com Giggs no miolo, há dois anos, e não lhe funcionou. O ritmo da troca de bola do Barcelona não convida a veteranos e Scholes também deverá ver o jogo no banco. Mas são armas, como Chicharito. O jovem mexicano é o mais entusiasmante das individualidades do Man Utd mas tanto ele como Nani terão de esperar pela sua hora. Ferguson é, sobretudo, um pragmático. 

 

Se o Barcelona conquistou o seu primeiro titulo no velho Wembley poucos se lembram de que a primeira Taça dos Campeões ganha pelos Red Devils também foi conquistada no tapete verde londrino num duelo histórico contra o Benfica de Eusébio. Ambos os clubes contam com três trofeus e, de certa forma, representam o futebol contemporâneo. O Manchester oficializou, esta época, a ultrapassagem ao Liverpool enquanto que o Barcelona moderno de Guardiola parece ter remitido os êxitos do Madrid a um passado longinquo. São portanto dois clubes dominantes, dois planteis de primeiro nivel e dois técnicos bem diferentes mas com trajectórias impecáveis, os que se medirão no próximo sábado. Ganhe quem ganhe, o beautiful game já sair a lucrar com este duelo de gigantes que definem o futebol moderno. 



Miguel Lourenço Pereira às 09:01 | link do post | comentar

4 comentários:
De DC a 25 de Maio de 2011 às 09:11
São os 2 melhores clubes da actualidade, será sem dúvida uma final fantástica onde mesmo que as equipas apresentem um grande respeito mútuo se prevê futebol bonito e ofensivo.

Discordo apenas um pouco quando refere a capacidade de liderança do Rooney. A mim parece-me que face às birras que fez no início de época a influência dele no balneário é bastante inferior à de Giggs, Scholes, Ferdinand e até Vidic e Van der Sar.


De Miguel Lourenço Pereira a 25 de Maio de 2011 às 10:32
DC,

São, sem dúvida alguma, os dois projectos desportivos mais admiráveis das ultimas duas décadas, os mais consistentes e conscientes com a sua herança. O Barcelona pode ter um jogo mais vistoso mas a eficácia e as sete vidas do Man Utd com Ferguson (quando, lembramos, tem uma divida tremenda por culpa do empréstimo realizado pelos Glazers para a compra do clube) é igualmente admirável.

Quanto ao Rooney, discordo. É uma anti-estrela, fez a sua birra e conseguiu o que queria e naturalmente não tem o peso dos veteranos no balneário (e fazem bem em relembrar o Vidic). Mas dentro do terreno de jogo é um motivador daqueles que o rodeiam e com Nani, Chicharito, Fletcher e Giggs entende-se às mil maravilhas e exerce de general de forma bem mais diplomática e humana do que fazia Cristiano Ronaldo, mais impositivo da sua figura.

um abraço


De filomeno a 25 de Maio de 2011 às 20:48
Los dos finalistas, ciertamente antipáticos. Un poco menos antipático el equipo de la Poderosa Albion, por eso de contar con dos jugadores lusos.......
Saludos.


De Miguel Lourenço Pereira a 26 de Maio de 2011 às 08:12
Filomeno,

Son, de facto, dos equipos que nunca han caido bien, para decirlo de manera suave, entre los adeptos españoles ;-)

un abrazo


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Ya existe Avenida Eusebio, Estadio da Luz; NO EXIS...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO