Terça-feira, 7 de Junho de 2011

O AC Milan quebrou a hegemonia do Inter de Milão num duelo fratricida que interessou menos que a curiosa rebelião das equipas de classe média. A queda da Sampdoria na Serie B deixou também um sério aviso à navegação e o drama esfingico pelo que passa a Juventus deixa ainda mais tranquilo o duo milanês que se prepara para repetir o duelo na próxima temporada.

 

Napoli. Udinese. Palermo. Parma. Lazio.

Num ano dominado pelas equipas de Milão o destaque acaba por ir para cinco clubes que não venceram nada mas trouxeram uma verdadeira emotividade a um torneio adormecido nos berços de ouro da capital lombarda. Porque o Internazionale, cinco anos depois, voltou a perder uma liga mas, mesmo assim, conseguiu terminar em segundo lugar e marcar presença na final da Taça. Porque uma equipa exprimida ao máximo por José Mourinho sobreviveu à debacle de Rafa Benitez para reeguer-se, com Leonardo, e ir a tempo de desafiar o lider da prova. Lider, esse, que venceu um titulo mais complicado do que aparentou a tabela classificativa. E no entanto, desde cedo muitos entendiam que era uma questão de tempo até o AC Milan de Allegri confirmasse matematicamente um titulo feito à sua medida. Sem espectacularidade, sem destreza e sem classe, o Milan passeou pela liga e resistiu ao acosso do modesto Napoli e do ferido Inter para garantir o enésimo troféu da era Berlusconi.

Allegri, na sua primeira época, não resistiu ao apelo mediático do seu presidente e durante a primeira parte da época andou perdido num onze com mais estrelas e menos jogo do previsto. A saída de Ronaldinho e as chegadas de van Bommell e Cassano deram mais organização aos rossoneri. Boateng tornou-se na peça chave do jogo ofensivo de uma equipa que, muitas vezes, alinhou com Robinho e Pato no banco, sem espaço para a improvisação e com um ritmo quase cirúrgico de eficácia. Com uma defesa coordenada pelo brasileiro Thiago Silva e um meio campo capaz de sobreviver ao ocaso de Pirlo e Gattuso, o Milan revelou-se um justo campeão mas não deixou, em nenhum momento, sensação de dominio incontestado como seria de esperar de um plante fortissimo e um técnico emergente.

 

Talvez por esse mau sabor de boca deixado pelos novos donos do scudetto, é necessário relembrar que a Serie A foi muito mais que os gigantes de Milão.

Foi a liga do Napoli de Walter Mazzari, uma equipa sem vedetas que esteve perto de emular o feito histórico de Maradona graças aos golos de Lavezzi, Cavani e Hamsik e uma organização defensiva superlativa. Os napolitanos não aguentaram o sprint final mas marcaram presença na Champions League do próximo ano de forma totalmente meritória. Também na prova rainha da UEFA pode estar a Udinese de Guidolin, uma equipa de tracção à frente, acutilante e com um génio chamado Alexis Sanchez a pautar o ritmo de jogo de forma contagigante. A Udinese terá de inspirar-se no modelo auto-destructivo da Sampdoria (que conseguiu esse 4º posto para depois perder tudo, inclusive a categoria) e preparar o novo ano com cuidados extras.

Em destaque igualmente a renascida AS Lazio, finalmente saída da sombra da rival Roma, e o Palermo de Pastore, Nocerino, Micolli e companhia que sobreviveu à troca de treinadores para manter o alto padrão de jogo e um espirito estético pouco comum na liga mais táctica do futebol europeu. E claro, o Parma, sofredor até ao fim, que se encomendou ao génio de Giovinco, escudado por Amauri, Candreva e Gallopa nessa luta desesperada pela salvação, ganha a pulso nas últimas rondas. Nomes fortes de uma liga por onde andaram também, em boa forma, AS Roma, Fiorentina, Cagliari e Genoa, sempre com a Europa no horizonte. A grande desilusão acabou por ser, um ano mais, a Juventus. Del Neri não encontrou o esquema certo e perdeu o controlo do balneário da Vechia Signora que aspira, com uma equipa profundamente rejuvenescida, a algo mais substancial no próximo curso. Matéria prima existe de sobra falta apenas um técnico com a força de caracter suficiente para ordenar a casa.

 

À histórica Sampdoria, despromovida perante o desalento de Palombo, o seu capitão, numa das imagens mais tocantes da temporada, juntaram-se também o centenário Brescia e o modesto Bari, equipas sem a fortaleza mental para aguentar o peso emocional de lutar até ao fim pela permânencia, algo que, surpreendentemente, encontraram Lecce e Cesena, os grandes candidatos à perda de categoria, numa série infernal de bons resultados nas últimas rondas. Para eles ficar entre a elite é também digno de celebrar uma liga para a posteridade.


Categorias: ,

Miguel Lourenço Pereira às 10:27 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Ya existe Avenida Eusebio, Estadio da Luz; NO EXIS...
¡Suerte....!
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO