Terça-feira, 3 de Maio de 2011

As almas de Carrow Row inspiraram fundo. Olharam para o céu. Olharam para o relógio. Viram como estava o vento desde a portuária e longínqua Portsmouth. E soltaram as asas. Finalmente podiam voar rumo à mítica elite. Em dois anos o milagre devolveu o histórico Norwich City aos grandes do futebol inglês. Uma dupla promoção prodigiosa e que devolve os "Canários" ao confronto directo com a elite britânica. Uma história com um surpreendente mas necessário happy-ending.

 

 

 

 

 

 

Paul Lambert entrou na mitologia "canária". E não é para menos.

Nos inicios de 2010 o Norwich andava pelo meio da tabela da League One, a terceira divisão inglesa. Era muito pouco para um clube com uma história imensa, um clube que fez parte dos fundadores da Premier League. Um clube que representava uma zona geográfica inglesa há muito afastada do resto do país, East Anglia. No meio dos pântanos, do vento e das correntes, os adeptos dos populares "canários", um dos poucos clubes ingleses a equipar de amarelo e verde, pensavam que os dias de glória nunca mais chegariam. E então chegou o escocês Lambert. E com ele um novo espírito. A equipa começou a trepar postos na tabela classificativa e quando a época passada chegou ao fim o Norwich sagrava-se campeão com cinco pontos de avanço. Tinha menos 18 que o líder quando o técnico se apresentou aos adeptos.

Se já essa subida era para recordar, o que se viveria em Carrow Row em 2011 será certamente para entrar nos livros de história. O conjunto chegou ao Championship com objectivos claros de manutenção. Não havia dinheiro nem condições para competir com os despromovidos da Premier League ou os grandes nomes como Leeds, Nottingham e Middlesborough que tinham falhado o assalto final no ano anterior. Talvez por isso o arranque tranquilo, sem demasiados altos e baixos, fosse visto com aprovação. Passo a passo, pensavam, lá chegaremos. Daqui a uns anitos talvez possamos ser nós. Mas Lambert não é homem de conjecturas futuras. E chegado o mês de Dezembro a equipa começou a reagir à pressão psicológica do seu próprio Manager. Os ataques convertiam-se em golos, as defesas multiplicavam-se e os jogos pendiam, cada vez mais, para os amarelo e verdes. O Norwich repetiu a façanha e trepou, trepou e trepou na tabela classificativa. Até que se colou ao líder, o recém-milionário - e igualmente histórico - Queens Park Rangers. E não o largou. Até que a matemática tornou o sonho em realidade.

 

O voo dos canários custou muito a equipas que apostaram forte na subida à Premier League.

Se o QPR - e o dinheiro investido por Ecclestone e Briatore - era um fortissimo candidato desde o principio, as campanhas de Middlesborough, Portsmouth, Nottingham, Cardiff, Burnley, Hull e Reading pareciam condenar qualquer outro conjunto a aspirar a ter, apenas, um ano tranquilo. Mas o Norwich City - e o mítico Leeds United, de certa forma - nunca se resignaram. E à medida que alguns candidatos mostravam não ter ritmo para lutar pelos primeiros postos, as posições na tabela foram-se invertendo. O Norwich, sem nenhuma estrela a que se agarrar, imitou o modelo do modesto Blackpool, que em 2010 tinha logrado um feito similar. O conjunto, capitaneado magistralmente por um treinador que sabe o que é ganhar. Lambert, internacional escocês de topo nos anos 90, sagrou-se campeão europeu com outra equipa amarela, o Borusia Dortmund, em 1997. Também então os germânicos foram subestimados pela concorrência. E acabaram por sagrar-se justos campeões da Europa.

Esse espírito guerreiro foi inculcado num plantel de nomes aparentemente desconhecidos para a imensa maioria mas que já valem o seu peso em ouro na história do clube. Quando a equipa bateu a 21 de Abril o seu rival regional histórico, o Ipswich Town, por 1-5, tornou-se claro que só uma hecatombe podia acabar com o sonho do Norwich. Para trás tinha ficado uma série de seis jogos seguidos sem perder, todos com rivais directos, todos com superioridade contrastada no terreno de jogo. Que o nome mais sonante da equipa seja Henry Lansbury, um jovem emprestado pelo Arsenal, diz muito da natureza de um projecto sólido que não arrisca sem ter a certeza de que vale a pena. Desde há 20 anos que uma equipa não conseguia duas promoções consecutivas. Isso diz muito do feito logrado pelos homens de Lambert que agora terão de saber sobreviver no meio dos falcões da Premier League.

 

 

 

O titulo pode pertencer ao QPR e há ainda muito drama e emoção à espera na luta dos play-offs onde quatro equipas (Cardiff, Swansea, Reading e Nottingham) ainda sonham com a promoção. Mas ninguém será capaz de roubar o protagonismo mediático a um conjunto histórico que ultrapassou todos os problemas possíveis e imaginários e logrou em 18 meses o que grandes tardaram anos em conseguir. 2011 será sempre um ano doce na história do Norwich City, um ano onde se provou que os Canários podem ser pequenos mas também sabem voar...



Miguel Lourenço Pereira às 11:55 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Ya existe Avenida Eusebio, Estadio da Luz; NO EXIS...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO