Quarta-feira, 16 de Março de 2011

Contra as expectativas o Bayern Munchen perdeu no Allianz. Contra as expectativas o Internazionale não deixará o ceptro europeu de ânimo leve. Contra as expectativas viveu-se um jogo imenso no plano táctico e emocional. Face à inexpressividade de Louis van Gaal a reviravolta neruazurra define-se em três palavras: Leonardo, Júlio César e Crença...

 

 

 

Nos instantes finais do jogo da primeira volta no estádio Giuseppe Meazza o brasileiro Júlio César errou. Um gesto raro e desafortunado que deu a Mario Gomez e ao Bayern um golo de ouro.

Desde o Mundial da África do Sul que aquele que muitos consideram o melhor do Mundo na sua posição, não está bem. Não está seguro. Ao sair do estádio, Júlio César deixou o carro e preferiu ir a pé até casa onde chegou já era alta a madrugada. Reflectiu. Mas quando Robben destroçou Chivu e Ranocchia e disparou um dardo envenenado, a bola voltou a escapar-lhe das mãos, Gomez voltou a aparecer e parecia que ele estava destinado a ser o culpado do final do reinado europeu do Inter. Mas não. Com Júlio César as coisas não funcionam assim.

O "imperador" de Milão olhou desesperado para o chão, gritou "merda" do fundo da alma e ajeitou a armadura. Não voltou a fraquejar. O Bayern até marcou um segundo (erro da defesa desta vez que deu a Muller um golo fácil demais) mas o brasileiro foi um herói. E nele começou a histórica reviravolta, algo que os italianos têm a que se agarrar depois de saber que a sua Serie A foi, definitivamente, suplantada pela Bundesliga. A gesta estóica do Allianz entrará, seguramente, na galeria dos grandes jogos europeus do clube. Porque chegou com desvantagem (algo que não sucedeu na campanha de Mourinho) e porque o golo inaugural de Eto´o ao minuto 4 foi rapidamente desactivado pelos bávaros. Aos 20 minutos de jogo havia um mundo entre o Inter e o apuramento. Os alemães, que tinham sido superiores em Milão, onde jogaram praticamente só contra o avançado camaronês, tinham o jogo e a eliminatória controlados. Para outro Bayern isto teria sido mais do que suficiente. Para esta equipa descrente não. Ambas as formações ofereceram um espectáculo mais atractivo que a final da Champions em Maio passado. Mas os italianos voltaram a mostrar ter uma garra especial para os grandes momentos. Van Gaal esteve estático como uma estátua de Fidias durante todo o jogo e errou. Do principio ao fim. A sorte parecia bafejá-lo, como sucedeu contra a Fiorentina e contra o Man Utd no ano passado. Mas não. O seu Ajax tinha sido a última equipa a dar a volta a uma eliminatória europeia com um resultado adverso de 0-1. O testemunho está entregue.

 

Júlio César foi determinante. Parou com as mãos as melhores oportunidades dos bávaros (os golos foram puras carambolas).

Muitas vezes só ante o perigo, o brasileiro não perdeu os nervos e despertou a equipa. Despertou Leonardo. O técnico é uma lufada de ar fresco num clube que sofreu durante largos meses o estilo obsessivo de Rafa Benitez, mais preocupado com a sombra de Mourinho. O antigo jogador do AC Milan é diferente. Ligou ao português para pedir conselho, ganhou o coração dos jogadores e recuperou o espírito guerreiro dos campeões da Europa. A sua recuperação na Serie A é impressionante, particularmente se temos em linha de conta que não conta há muito com o melhor Milito. Uma reviravolta na Europa sem a eficácia de um goleador como Pazzini, a sua arma secreta em Itália, um êxito rotundo. Porque Leonardo tem a mesma equipa que tinha Mourinho (com a importante chegado do jovem Rannochia, um Cannavaro em potência) mas um ano mais velha. E sem a mesma fome. Ou isso pensavam. A atitude dos jogadores neruazurri, a sua crença a evocar os dias de Mourinho, foram nucleares no duelo com os pacíficos germânicos. Se em individualidades o Bayern em ganhava, em individualismos o Bayern perdeu. Robben, Ribery, Muller e Schweinsteiger são jogadores de top, tremendos. Mas não souberam combinar, abrir espaços. associar-se. E matar o jogo. Entregaram as armas demasiado cedo e van Gaal leu o jogo demasiado tarde. O meio-campo macio alemão precisava mais de Kroos, um jogador com critério, do que Altintop, mais um velocista. Um erro que abriu caminho à vitória de Leonardo. No banco.

O técnico milanês emendou a palma e colocou Sneijder no miolo (tinha andado desaparecido pela esquerda), onde realmente mata um jogo. Com passes e golos. O seu remate, indefensável, concluiu a melhor jogada do encontro. O atrevimento de Coutinho, uma aposta arriscada que resultou, desequilibrou a defesa, Eto´o fez - outra vez - de pivot e o holandês empatou o encontro. Faltava pouco tempo, mas a balança estava já muito desequilibrada. O Inter chegou, uma e outra vez, e o Bayern perdeu a concentração. Pior, perdeu a bola. Não soube aguentar o jogo, não soube parar, pensar, pausar. Permitiu o jogo de ida e volta e num desses movimentos, outra vez Coutinho, outra vez Eto´o e agora Pandev, esse lutador de sumo futebolístico, rasgaram a história. O 4-3-3 de Leonardo, com as linhas bem mais avançadas e Sneijder no miolo e Coutinho e Pandev abertos nas alas, apoiados por Nagamoto e Maicon, foi suficiente para rasgar o macio 4-2-3-1 esquema táctico de van Gaal. O Bayern Munchen caiu merecidamente porque nunca soube pensar para lá do momento. E o reinado do holandês está destinado a acabar em tragédia depois de ter roçado o céu.

 

 

 

Luiz Gustavo, Breno, Pranjic e Robben apagaram-se cedo. Ribery lutou só e Gomez continua a ser um avançado capaz do melhor e do pior. Júlio César estava lá para o parar. Leonardo para ordenar as peças. A crença fez o resto. O Inter continua a sua luta contra o tempo. Sabe que é quase impossível revalidar o titulo. Mas não está disposto a cair sem lutar. Eles são, outra vez, os underdogs desta Champions. E isso torna-os ainda mais perigosos.



Miguel Lourenço Pereira às 08:46 | link do post | comentar

2 comentários:
De Pedro a 16 de Março de 2011 às 15:01
Adoro isto no futebol.
Para quem viu o jogo, naquela primeira parte, ninguém acreditaria no Inter. As casa de apostas devem ter dado um bom dinheiro aos mais crentes :D


De Miguel Lourenço Pereira a 16 de Março de 2011 às 15:26
O Bayern apresentou mais futebol nos 180 mts. Em Milão o Inter salvou-se de boa de uma goleada e podia até ter marcado por causa do espirito inimitável do Etoo. Em Munique a primeira hora foi sensivelmente igual.

Mas o espirito do Inter, o espirito do Calcio, o espirito de Mourinho que Leonardo, em lugar de renegar como Benitez, aproveitou a seu favor, é muito superior ao do Bayern e a vitória, apesar de surpreendente pelos 2 golos sofridos, foi totalmente justa.

um abraço


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO