Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011

poucos estádios com tanto simbolismo e força interior que tenham sobrevivo à era da modernização do futebol moderno. Muitos deles desapareceram, outros estão em via de o fazer. E outros foram de tal forma alterados que perderam grande parte da sua essência. Cada pedra derrubada é um soco surdo na alma do beautiful game. Ontem o futebol ficou mais pobre. O Ali Semi Yen fechou as portas, de vez. O dinheiro ganhou. O Inferno turco é mais uma miragem do passado.

 

 

 

Se os adeptos turcos são internacionalmente reconhecidos pelo seu fanatismo - que chega a extremos impensáveis no resto do velho continente - há dentro da classificação dos fãs turcos dois niveis: os adeptos do Galatasaray...e todos os outros.

O clube do povo, o clube mais popular e europeizado da cidade que faz a ponte entre Ásia e Europa, domina todos os rankings possiveis e imaginários de fanatismo, superando mesmo os rivais locais do Bessiktas e Fenerbache, dois clubes exemplares na sua devoção ao jogo. Dentro dessa matéria prima que faz do adepto do "Gala" uma figura à parte está, esteve e acabará sempre por estar, a sombra do estádio mitico que define, também ele, o futebol turco.

Há quem se lembre das históricas vitórias contra Manchester United e Leeds United, em épocas distintas e contra duas massas adeptas igualmente fanáticas, para testemunhar o poder do Ali Semi Yen na dinamica desportiva que rodeia o clube vermelho e amarelo de Istambul. A vitória do Galatasaray em 1994 contra o Man Utd de Cantona e companhia lançou, definitivamente, o clube turco para a elite europeia. Já nos anos 80 o Galatasaray tinha ameaçado (incluindo uma meia-final da Taça dos Campeões perdida com o Steaua Bucaresti) mas a década de 90 revelou ser a sua era dourada. Seis anos depois, de novo contra exércitos da velha Britania, o poder do Ali Semi voltou a ser determinante na eliminatória contra o Leeds United na Taça UEFA de 2001. Os turcos venceram e rumaram à final - derrotando outro conjunto inglês, o Arsenal - mas o titulo ficou manchado igualmente pelas cenas de violência entre ingleses e turcos que terminaram com a morte de um adepto dos Whites. A fama de estádio violento ficou, mas há muito mais por detrás das históricas bancadas que ontem se despediram definitivamente da história do futebol europeu.

 

O Galatasaray venceu por 3-1 no último jogo "em casa". E até começou a perder. Mas poucos realmente estavam preocupados com o resultado. Era o simbolismo que contava.

O histórico recinto encheu-se pela última vez para um longo e triste adeus de 90 minutos. O novo estádio - tal como sucede com Bessiktas e Fenerbache - significa uma forte aposta dos grandes clubes turcos na renovação das principais infra-estruturas do país com vista a uma maior rentabilidade desportiva. E a hipotética organização de um grande evento europeu, para lá da final da Champions League albergada pelo renovado Ataturk em 2005. Para aumentar a capacidade (o histórico Sami Yen só contava com 20 mil lugares) e os rendimentos, o clube escolheu um local na periferia que pouco tem a ver com a imagem de clube cêntrico e cosmopolita que acompanhou o Galatasaray durante toda a sua história. Um amigável contra o Ajax (outro clube que apostou forte a principios dos anos 90 nessa mutação) no próximo sábado abre as portas ao futebol do recém-criado Türk Telekom Arena. E assim terminarão as longas filas para entrar, o ambiente frenético nas horas prévias, os espectadores com os filhos ao colo que muitas vezes aumentavam em milhares as almas presentes durante o jogo e, acima de tudo, o ambiente infernal que durava do primeiro ao último segundo e que tantas vezes salvou o clube da derrota e o empolgou para uma vitória improvável.

Desportivamente o clube agora orientado por George Hagi não vive os seus melhores dias, à sombra dos rivais locais e da irrupção do modesto Bursaspor. Mudar de casa significa um investimento significativo que a direcção quer aproveitar para relançar a única equipa turca que até hoje conta com uma competição europeia nas suas vitrines. Já lá vai uma longa década. Poucos se importam que o estádio tenha sido inaugurado com uma tragédia incluida. Era o centro nevrálgico do futebol turco. Até agora. Será mais um shopping, mais um templo consumista onde ninguém se lembrará dos últimos golos de Arda Turan, Kazim-Kazim Richars e Çervit. E de todos os outros gritos ecoados no passado.

 

 

 

Os adeptos puderam levar uma recordação em forma de cadeira com uma inscrição simbólica. Mas são as memórias que farão com que o recinto permaneça forçosamente na história do futebol mundial. Como em tantos outros casos em que o progresso e o aspecto comercial levaram avante à memória desportiva, o adeus é inevitável. A memória, inesquecível.



Miguel Lourenço Pereira às 14:35 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO