Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

O Tetracampeonato conquistado devia supor um ano glorioso para os dragões. Mas 2008/2009 não entrará para a história como um dos melhores da entidade. Desde o atribulado inicio de época com o conflito com a UEFA que se previa que este seria um ano complexo. As saídas (esperadas) de Bosingwa, Paulo Assunção e Ricardo Quaresma não foram devidamente cobertas. Sapunaru, Benitez, Guarin, Pele e Tomas Costa nunca ultrapassaram a mediania e cedo demonstraram o imenso rombo que havia no plantel portista. Fernando, no meio campo, e Hulk e Rodriguez, a partir do Inverno, foram os únicos aspectos positivos que Jesualdo Ferreira encontrou numa equipa que perdeu o jogo pelas alas para encher o meio-campo onde Lucho e Raul Meireles estiveram em sub-rendimento a maior parte do ano. A fraca capacidade goleadora de Lisandro agudizou o problema que se chegou a estender à baliza, onde até Helton esteve perto de ser crucificado. Eram dias difíceis os das derrotas com Naval e Leixões em casa, e em Kiev para a Champions. Jesualdo pedia tempo mas as semanas passavam e os rivais afastavam-se.
 
Se há título azul e branco este ano, deve-se claramente à péssima época dos rivais. Até Dezembro o FC Porto pode recuperar a liderança donde não voltou a sair. A equipa não jogava bem, e apesar de Cissokho ter limado arestas à esquerda (abrindo a Fucile o lado direito), o futebol era previsível, lento e funcionava melhor no contra-golpe visitante do que no Dragão, onde penetrar defesas rivais se tornava num autentico quebra-cabeças. Os suplentes de Jesualdo foram resolvendo alguns jogos complicados e entre Janeiro e Março a equipa atravessou o seu melhor momento. Mas nos derbys nunca se impôs e na Europa não ganhou um único jogo desde a fase de grupos, apesar de ter feito suar o campeão em título nos Quartos. A vitória no campeonato foi natural a partir do momento em que Benfica e Sporting tropeçaram de vez. O Porto mostrou-se mais forte mentalmente e foi aguentando as últimas finais, para sagrar-se campeão a dois jogos do fim. Longe da equipa que venceu o primeiro Tetra – uma maquina de futebol de ataque – e até mesmo do futebol directo dos últimos anos, este Porto é claramente uma equipa de transição. Jesualdo ficará para o penta mas sabe que tem de mudar muita coisa. As contratações anunciadas (Orlando Sá, Varela, Miguel Lopes e o regressado Nuno Coelho) significam mais juventude, ou seja, mais trabalho de entronização. Os reforços de que se falam não são propriamente jogadores feitos e de nível, como aconteceu na época em que chegaram Lucho e Lisandro. O certo é que o FC Porto terá de procurar outro esquema de jogo e aumentar os níveis de eficácia. Parte como favorito e como sempre dependerá muito do nível dos rivais. A continuar assim tão baixo, o Penta pode mesmo ser uma realidade com um retoque de imagem. É o nível do nosso campeonato!
 
 
Pelo quarto ano consecutivo o FC Porto é campeão nacional. Pelo quarto ano consecutivo o Sporting contenta-se com o segundo posto. Se há dois anos ainda sonhou legitimamente com o título – resultado da péssima segunda volta azul e branca – a verdade é que está claro que esta é a posição máxima que este clube pode aspirar com a política desportiva adoptada. Paulo Bento tem sido alvo de várias criticas, mas sem ovos não se fazem omoletes, e o técnico sabe que está aí em cima mais graças ao seu trabalho como gestor de jovens talentos e, principalmente, aos golos de Liedson, do que propriamente ao investimento na equipa. A falta de estabilidade desportiva e de injecções financeiras importantes fazem do plantel leonino o mais débil do dos três grandes. Muitos jovens de formação, jogadores de nível médio e claro, o Levezinho. Não há mais. Daniel Carriço foi a grande revelação do onze leonino, empurrando Tonel para o banco de suplentes, enquanto que a Adrien, Pereirinha e Djalo, falta um pouco mais de traquejo para impor-se no onze. Miguel Veloso e João Moutinho foram casos à parte. Forçaram a saída e acabaram por ficar. O capitão aceitou tranquilamente e foi igual a si próprio todo o ano, um jogador pausado, tranquilo, equilibrador, mas sem um pingo de génio que justifique os números que pedem por ele. É um sucessor natural de Hugo Viana mas notam-se limitações claras. Já Miguel Veloso poderia ter um potencial superior, mas um jogador sem cabeça não é uma boa base para se esperar algo de grandioso. Passou o ano em polémicas, rendeu muito abaixo do esperado e foi a ovelha negra da equipa. Poderá ser vendido este ano, mas fica ele e o Sporting a perder, porque quem o viu este ano – o seu jogo e comportamento – sabe que não é um elemento de fiar.
Também a dupla servia provocou sarilhos e se Stoijkovic acabou por sair, Vuckcevic ainda ajudou a equipa em momentos complicados. Casos a mais para um só técnico resolver, especialmente só contra os leões. Derlei, Postiga e Liedson iam marcando os, poucos golos, que mantinham a racha vitoriosa dos leões, mas a equipa nunca pareceu em reais condições de discutir o titulo. O segundo lugar é mais demérito do rival da segunda circular que conquista em campo. Se a próxima direcção não traz outra ideia a Alvalade, da equipa verde e branca não se poderá esperar muito mais para o próximo ano.
 
 
À partida todos eram unânimes na qualidade acima da media do plantel do SL Benfica para esta época. Rui Costa tentou trazer Queiroz e Erikson e falhou em toda a linha e teve de se contentar com Quique Sanchez Flores, técnico sem títulos mas com reputação no pais vizinho. Para o novo mister trouxe reforços de luxo, os argentinos Aimar e Di Maria, o hondurenho Suazo (por empréstimo), Urreta e Balboa e ainda Ruben Amorim, autor de uma notável época no Restelo. Parecia um plantel bastante mais equilibrado do que em anos transactos e a equipa nem arrancou mal a época. Rapidamente se percebeu a ignorância do técnico face ao futebol português e a dificuldade de encontrar um onze tipo. Mudou-se de guarda-redes (jogaram os três do plantel), mudaram-se avançados, extremos, centrais, enfim, Luisao e Katsouranis acabaram por ser os jogadores mais utilizados numa equipa que parecia estar firme a princípio de época mas que se desmoronou à primeira. Chegou a liderar a prova mas não aguentou nem duas jornadas e a partir daí entrou em queda livre, oferecendo o segundo posto de bandeja ao rival lisboeta. A vitória em Braga foi como um murro na mesa, quando já se especulava sobre outra ausência do pódio, como no ano passado, mas 2008/2009 volta a ser uma desilusão na Luz. O presidente já perdeu todo o crédito, Rui Costa não mostrou destreza e no final de contas Quique também nunca ajudou verdadeiramente. A sua saída é inevitável, apesar de custosa, mas mais do que um técnico, o clube encarnado tem de ser mais ambicioso se quer lograr ir mais longe. 


Miguel Lourenço Pereira às 13:35 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO