Sexta-feira, 24 de Dezembro de 2010

É sempre um feito dificil, um verdadeiro êxito digno de entrar nos livros de registos históricos de qualquer clube. Mas depois de mergulhar na depressão, o FC Porto renasceu e de que maneira. No final do ano desportivo, já com quase metade da época atrás das costas, os soldados de Andrés Villas- Boas marcham invictos. São os únicos no Mundo a não saber a que sabe o sabor amargo da derrota.

 

 

 

A invencibilidade até vem da era Jesualdo Ferreira, se queremos ser exactos.

A equipa que terminou a época passada em boa forma, vencendo o futuro campeão nacional no Dragão e arrebatando a segunda Taça de Portugal consecutiva (prova onde permanece igualmente invicto há dois anos e meio) já tinha dado inicio a esta série impressionante de jogos oficiais sem qualquer derrota. Mas é com o mandato de André Villas-Boas, nomeado em Junho como novo técnico azul e branco no meio de muita expectativa e alguma desconfiança, que os números se tornam claros.

A imprensa internacional não se cansa de tecer comparações entre o portuense e José Mourinho, com quem trabalhou nos últimos seis anos. No entanto até os números aparentemente imbativeis de Mourinho no Dragão começam a estar ao alcance do jovem técnico de 33 anos. Villas-Boas fecha 2010 como o técnico mais eficiente do futebol europeu, superando em números gigantes como Barcelona, Manchester United e Real Madrid, equipas que contam também com uma derrota nesta nova temporada. Os números incluem a categórica vitória sobre o SL Benfica na Supertaça, a série invicta na Liga Sagres (com 13 jornadas disputadas), eliminatórias da Taça e a brilhante campanha na Europe League, com sete vitórias e um empate em oito encontros. Aos triunfos (e três empates, Bessiktas, Vitória Guimarães e Sporting), juntam-se as exibições de gala. Os 5 golos sem resposta ao eterno rival, o triunfo com menos um jogador no temivel recinto do Bessiktas ou a vitória frente ao Sporting de Braga são o mais fiel espelho de um arranque de temporada onde são mais os aspectos positivos do que os erros ou tropeções. Isto numa equipa reformulada e com espirito renovado.

 

Terminado o ciclo do Tetracampeonato e o mandato de Jesualdo Ferreira, a chegada de Villas-Boas provocou um abanão num clube acomodado ao sucesso. Sem os milhões da Champions League a entrar, o FC Porto conseguiu escapar no mercado aos cantos de sereia das suas principais figuras e manteve-se activo, recrutando João Moutinho, Souza, Walter, James Rodriguez e Nicolas Otamendi para um plantel já repleto de jogadores de primeiro nível.

Villas-Boas não mudou o desenho táctico, mantendo-se fiel ao 4-3-3, mas mudou o ritmo e dinâmica de jogo abdicando das rápidas transições por um estilo de jogo mais rendilhado, com troca de bola a meio-campo provocando os desiquilibrios individuais dos seus virtuosos atacantes. Se Moutinho foi fundamental para dar outro ritmo ao jogo azul e branco, foi a recuperação do argentino Belluschi que chamou a atenção. Com Fernando a fechar o tridente medular, abria-se as portas para o jogo ofensivo que se tornou na imagem de marca de um técnico que gosta mais de relembrar os seus dias de adepto do futebol de Bobby Robson do que como colaborador do esfingico Mourinho. Nessa dinamica ofensiva, que a alguns lembra o modelo de jogo da primeira versão do Pep Team, mais do que os golos de Falcao (oportuno como nunca) ou as rotações de Varela (que foi de mais a menos) está a figura de Hulk. Máximo goleador da Liga Sagres, figura chave da equipa na Europa, o brasileiro encarna hoje a filosofia de Villas-Boas à perfeição. Trabalhado tacticamente por Jesualdo, Hulk transformou-se no elemento nuclear no jogo de transição azul e branco, aliando a sua força e potencia natural a um sentido colectivo agudo que tapou algumas das suas mais marcadas deficiências. Com o número 12 no seu melhor momento desde que chegou à Europa o FC Porto manteve-se, assim, invencível.

A segurança defensiva, sector mais débil do plantel azul e branco, tem-se mostrado o ponto mais conflictivo deste colectivo azul e branco, mas a subida de forma do argentino Otamendi, aliado a um bom trabalho de equipa a meio-campo, tem garantido que os dragões passem o ano com a defesa menos batida de todos os lideres dos grandes campeonatos europeus.

 

 

 

Este FC Porto de André Villas-Boas é uma equipa completa, de trás para a frente, que sabe que já entrou na particular história do clube mas que lhe falta muito para poder chegar mais longe. Esperam-lhe os determinantes meses do arranque do novo ano, os duelos a eliminar e o mais longo sprint do mundo, como disse um dia Jorge Valdano sobre a maratona que é a liga doméstica.



Miguel Lourenço Pereira às 09:19 | link do post | comentar

5 comentários:
De César João a 24 de Dezembro de 2010 às 16:12
Um Santo e Feliz Natal para si e para todos os que por aqui passam.
Boas Festas!


De Miguel Lourenço Pereira a 24 de Dezembro de 2010 às 17:10
Obrigado e igualmente César.

um grande abraço e feliz Natal


De José Borges a 25 de Dezembro de 2010 às 18:57
olá!

Chamo-me José Borges e era colaborador regualar do Visão de Mercado. Assinava pelo nome de A.Borges e assinava os post sobre análises a jogadores, campeonatos, equipas, assim como realidades do desporto-rei.

Gostava de poder contar contigo para promover o blog e usufruir dos teus comentários :)

abraço


De José borges a 25 de Dezembro de 2010 às 19:00
olá!

Chamo-me José Borges e era colaborador regualar do Visão de Mercado. Assinava pelo nome de A.Borges e assinava os post sobre análises a jogadores, campeonatos, equipas, assim como realidades do desporto-rei. Decidi agora cirar o meu próprio blog, cujo link é:

www.doutor-futebol.blogspot.com

Gostava de poder contar contigo para promover o blog e usufruir dos teus comentários :)



De futebol a 29 de Junho de 2012 às 08:45
olá!


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO