Domingo, 29 de Agosto de 2010

O anúncio das contratações de Yohan Gourcouff e André-Pierre Gignac por Olympique Lyon e Olympique Marseille confirmam uma tendência que os últimos dois anos têm vindo a reforçar. A Ligue 1, talvez a mais imprevisível do espectro europeu, começa progressivamente a bipolarizar-se entre os dois gigantes do Sul. Esta época será determinante para entender quem ganha o braço de fora. Os "Olympiques" ou...os outros.

São dois nomes obrigatórios do presente e futuro do futebol gaulês.

Se Gourcouff é há muito referenciado como o novo Zinedine Zidane, depois de se ter afirmado no Girondins Bordeaux, já Gignac consagrou-se há duas épocas pela sua tremenda veia goleadora ao serviço do Toulouse. São nomes fulcrais para o novo seleccionador francês, Laurent Blanc, e representam mais do que um sério investimento por parte de Lyon e Marseille. São o espelho de uma estratégia recente que vai esvaziando o poder dos rivais directos, transformando os dois "Olympiques", nas equipas mais fortes da equilibrada Ligue 1.

O Lyon assumiu-se na última década como um clube que vende bem e compra melhor.

Gourcouff é o consagrar de uma longa estatégia que inclui a vários negócios redondos, particularmente de jogadores que destacam em clubes mais modestos da Ligue 1. Se no ano passado foram Lloris, Gomis e Bastos os elegidos, este ano ao médio centro, o criativo que faltou à França no passado Mundial, junta-se ainda o brilhante dianteiro Jimmy Briand, uma das grandes esperanças do futebol francês. Chegado do Rennes, Briand é um avançado temivel, veloz e possante, perfeito para acompanhar Lisandro e Gomis num tridente ofensivo de muito respeito. Com o patron contratado ao Bordeaux ladeado por Toulalan e Kallstrom (sem esquecer Gonalons, Makoun, Pjanic, Ederson ou Delgado), a equipa de Lyon tem, claramente, o mais forte plantel da Ligue 1. Na época passada o sonho europeu impediu o conjunto de recuperar o ceptro perdido à dois anos, depois de sete titulos consecutivos. Agora, o poder económico do clube presidido por Jean Michel Aulas enfraqueceu um rival directo (Bordeaux) e garantiu outra grande promessa (Briand). No meio fica o progressivo afastamento do clube com a sua formação, se bem que Grenier, Taffer e Mehama são já nomes a seguir apesar da sua juventude. Um cenário em tudo similar ao clube que reina sob a Cote D´Azur.

 

O Marseille quebrou a sua longa fome de titulos na passada época graças ao forte investimento feito pela direcção.

Do técnico Didier Deschamps ao argentino Lucho Gonzalez, os marselheses reforçaram-se em toda a linha e aguentaram o ritmo dos rivais até à fase determinante. Este ano, apesar de terem perdido o goleador Niang para o Fenerbache, os azuis voltaram a demonstrar no mercado gaulês que são uma força com um forte poder de persuasão. À parte do espanhol Azpiculeta, uma das grandes promessas do país vizinho, o clube do Velodrome assediou o Toulouse e trouxe Andre Pierre Gignac, o nome próprio da sobrevivência da equipa onde milita o português Paulo Machado. O dianteiro junta-se assim a outra grande promessa francesa recém-chegada, Loic Rémy e a Mathieu Valbuena e Steven Mandanda, outros habituais da selecção gaulesa. Se a esses se juntam André Ayew (uma das revelações do passado Mundial) e o patrão Gonzalez, e fica claro que temos uma equipa de primeiro nível europeu. Construida, tal como o rival de Lyon, à custa dos seus competidores directos.

É portanto fácil de perceber que neste defeso as equipas médias do futebol gaulês sairam a perder. Mais do que é habitual. Só o Lille conseguiu manter as suas duas estrelas maiores (Hazard e Cabaye), enquanto que Toulouse, Rennes, Nice e Montepellier foram despojados dos seus nomes fortes. AS Mónaco e PSG, duas glórias dos anos 90 a anos-luz dos seus melhores dias, sobrevivem graças à sua aposta na formação e em jovens promessas. Quanto ao Girondins Bordeaux, a grande sensação dos últimos dois anos, a saída de Blanc, Chamkah e Gourcouff pode por um ponto final a uma aventura que agora parece mais pontual que eterna. O clube perdeu as suas máximas referências e corre o risco de se afundar na mediania de metade da tabela.

Sem rivais à altura, Lyon e Marseille têm todas as condições para fazer desta época uma luta a dois do primeiro ao último suspiro. Se é verdade que a Ligue 1 é conhecida pelos seus vencedores surpresa e pelo imenso equilibrio que pauta as sucessivas edições, também é verdade que há muitos anos que não existem duas forças tão fortes, no papel, com relação à concorrência directa. França pode tornar-se brevemente num feudo pessoal dos Olympiques. A bipolaridade do sul ameaça a imprevisibilidade da história.


Categorias: ,

Miguel Lourenço Pereira às 00:13 | link do post | comentar

3 comentários:
De joao p a 29 de Agosto de 2010 às 02:48
obviamente, não poderia perder o próximo texto.

só tenho uma pergunta, para saber exactamente o que estou a ler:

o autor do texto vê, realmente, o campeonato francês com regularidade?

(espero que esta pergunta não ofenda e que o comentário possa ser publicado e, com gentileza, a dúvida respondida. obrigado)



De Miguel Lourenço Pereira a 29 de Agosto de 2010 às 12:45
Caro João,

Como continua com a sua postura de sugerir que os seus comentários são congelados, este foi publicado. Mas não vou abrir nenhuma discussão com alguém que vem para um espaço alheio destilar sarcasmo, azia e ironias. Haverá muitos blogs por onde possa pairar com essa sua "forma constructiva" de discutir ideias que eles agradecem.

Este, definitivamente, não.


De Ricardo a 29 de Agosto de 2010 às 19:11
João,

Para além do Lyon e do Marselha apostaria no PSG , no Auxerre , no Bordéus ou noutro qualquer para conquistar o título doméstico ou a taça???
Bem me parecia que não ;)


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO