Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Talvez seja fácil de entender o que define um treinador marcante. É como Átila. Por onde passa, dificilmente o relvado do tapete verde volta a crescer de forma tão intensa e vigorosa. Nesse apartado chave, tão marginalizado entre disputas estéticas, nenhum é capaz de superar José Mourinho. Não é o homem das longas declarações de amor a uma causa. É um ganhador em qualquer ponto do Planeta. Pela terceira vez voltou a exemplificar quão básica e elementar é a sua cartilha. Uma causa vencedora à partida.

É fácil não gostar de José Mourinho. Demasiado até. E isso torna impossível não o adorar neste mundo de idolos de pés de barro.

O técnico da década - inevitavelmente - é também o nosso Homem do Ano. Pela terceira vez nos últimos dez. Depois de fazer de um destroçado FC Porto uma potência à escala europeia (sete titulos em dois anos) e de ressuscitar um velho clássico como o Chelsea (seis títulos em três épocas), agora coube a vez de fechar o ciclo de Milão. Porque Mourinho é um homem de etapas, não de compromissos.

Vive num mundo diametralmente oposto aos Ferguson e Wenger, técnicos capazes de permanecer uma larga eternidade ligados a um só projecto, uma só ideia. José Mourinho gosta de desafios. É fácil não gostar de saltimbancos. As pessoas admiram a estabilidade, a coerência, a fidelidade. E Mourinho só é fiel a si mesmo. Mas nunca engana ninguém. O seu amor eterno ao seu Chelsea, ao seu Inter (no caso do FC Porto reiteradas vezes lhe lembraram que não era dele...) é etéreo. Não presencial. As suas tácticas, os seus mind games, a sua postura choca com o politicamente correcto que grassa e apesta no mundo de hoje. Um mundo onde o melhor não pode dizer que o é, tem sempre de esperar à maioria. Um mundo onde a eterna ambição de ganhar é castrada com a eterna aspiração de beleza. Mourinho é diferente, não vai nessas cantigas, boas para vender jornais e alimentar conversas de café.

 

Quando Mourinho chegou ao San Siro, muitos duvidavam sobre o sucesso da sua incursão no Calcio.

A eliminação europeia tão precoce na sua primeira temporada deixou muitas dúvidas no ar. Mas foi um mal necessário. Com essa licção aprendida Mourinho rodeou-se dos melhores. Não dos mais mediáticos, mas sim dos jogadores capazes de seguir a sua filosofia até ao fim. Adriano, Julio César, Mancini, Quaresma, Maxwell e companhia foram postos de parte, depois do técnico entender que eram incapazes de sentir as regras do colectivo como fundamentais para vencer. Remeniscencias do velho Helenio Herrera, o homem que deixou Kubala tantas vezes na bancada por troca com o mais colectivo Luis Suarez.

Com uma legião de homens fieis até ao suspiro final, Mourinho tinha o exército que precisava. Dotou-o das armas necessárias (psicologicamente preparou-os para tudo e isso percebe-se no rosto de cada um dos seus jogadores) e montou o esquema de campanha. Poderia ter caído na fase de grupos mas a resistência dos neruazzuri era maior do que aparentava. Contra todos os prognósticos humilhou o Chelsea e vergou o Barcelona. Tudo graças à licção, sempre oportuna, do sadino. Secou as suas antigas glórias e calou os amantes do jogo bonito blaugrana. Chegou a Madrid e aí, nos 90 minutos finais, não ofereceu a minima hipótese ao seu velho amigo, van Gaal. Deu-lhe a bola, ficou com o espaço. Abriu o jogo, marcou. Fechou o jogo, controlou. Voltou a abrir, voltou a marcar. Uma cartilha que a muitos enoja, mas que faz parte do "b-a-b-a" dos ganhadores. E não há um homem tão nascido para ganhar como Mourinho.

 

Quebrada a quarta etapa na sua carreira, começa agora o sonho de Madrid. Num clube que está nos seus antipodas. Num ambiente pouco propicio para a sua tábua dos mandamentos. Tal como em Itália, onde não foi feliz, em Espanha Mourinho não terá o respeito da critica e público. Recebe agora os elogios dos jornais oficiosos do clube merengue, mas espera-o a mesma recepção fria, distante e critica que teve, o ano passado, outro ganhador nato português. Juntos, a dupla Mourinho-Ronaldo pode tornar-se parte da história. Mas não a esperem demasiado longa. O tempo de vencer uma Liga e uma Champions e completar o Poker de três. Porque ninguém espere esse amor eterno a Madrid que muitos juram e perjuram. Mourinho é um homem de desafios. E haverá sempre um novo ao virar da esquina. Por essas e por outras é que ele acaba sempre por ser o mesmo. Sem defraudar. Sem perder. Mais especial, impossível!



Miguel Lourenço Pereira às 13:32 | link do post | comentar

2 comentários:
De Pedro a 24 de Maio de 2010 às 18:44
O verdadeiro!
O que assusta é o Real. Ter o melhor treinador do mundo e o melhor jogador não vai ser fácil para a equipa com o melhor plantel do mundo (Barça). Agora vai dar pica.


De Miguel Lourenço Pereira a 26 de Maio de 2010 às 08:26
Sem duvida Pedro,

O melhor plantel do Mundo vs o Melhor técnico+jogador (com a anuencia de Xavi). Um duelo de titãs.

um abraço


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Ya existe Avenida Eusebio, Estadio da Luz; NO EXIS...
¡Suerte....!
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO