Quarta-feira, 19 de Maio de 2010

O Bordeaux terminou com o reinado do Olympique de Lyon. Coube ao Marseille dar a estocada final. Não houve bicampeão nem um regresso ao passado recente. O futebol francês recuperou a dinamica dos anos 90 - de 1993 a 2002 nenhuma equipa repetiu o título - graças a uma conjuntura inesperada de circunstâncias que favoreceram o regresso de um velho campeão. Pela mão do mesmo homem.

Deschamps ergue aos céus a histórica Champions League de 1993 em Munique.

Foi o último grande troféu dos marselheses em 17 anos. Depois da glória, o inferno. A despromoção, o titulo despojado, a longa agonia. Regressa Deschamps, regressam os titulos. Uma analogia inevitável que aumenta ainda mais a aura do antigo capitão aos olhos do magnifico e vibrante Velodrome. O homem que, com o AS Monaco não conseguiu bater o Lyon (apesar de chegar a uma final da Champions), soube finalmente o que é ser campeão francês...no banco.

O seu Olympique Marseille não foi a melhor equipa do ano. Nem a que melhor futebol jogou nem a que tinha melhor plantel. Mas saiu a ganhar de um ano curioso para o futebol gaulês.

A notável época europeia de Bordeaux e Lyon abriram o caminho para o irromper do trovão azul. Depois de uma primeira volta a roçar a mediania, Deschamps mexeu na equipa, mudou o esquema e a jogada saiu-lhe bem. Foi subindo postos na classificação e chegou-se à frente. Em três semanas passou do quinto ao primeiro lugar depois dos sucessivos tropeções de Lyon e Bordeaux, que alinhavam reservas na liga doméstica a pensar na final de Madrid. Quando os "Gonnes" eliminaram o Bordeaux, este já estava demasiado longe da cabeça. Quando, por sua vez, o Bayer Munchen venceu no Gerland, foi a vez do Lyon perceber que o Marselha estava noutro plano. Preparado para celebrar.

Ironicamente o titulo acabou por ser disputado entre quatro equipas inesperadas. Monteplier primeiro e mais tarde Auxerre e Lille, foram os únicos conjuntos que fizeram realmente sofrer os adeptos marselheses. Os triunfos nas últimas quatro jornadas confirmaram o titulo.

 

Atrás do insuspeito campeão, veio o Lyon.

A equipa de Claude Puel desde cedo que atestou baterias na Champions e depois de uma excelente primeira fase e da eliminação do Real Madrid em pleno Bernabeu, o sonho de superar a barreira dos quartos foi mais forte. O técnico passou a utilizar uma versão soft na Ligue 1 e pagou bem caro o preço. Chegou a andar longe dos postos europeus e só um sprint final repleto de garra e oportunismo garantiu que não caía na mesma dinamica auto-destructiva do Bordeaux, que acabaria o ano em sexto lugar e muito longe da glória europeia num ano para esquecer para os de Blanc.

No último posto Champions acabou o Auxerre treinado pelo técnico do ano, Jean Fernandez. O homem que melhor soube manobrar a imensa herança de Guy Roux, montou uma equipa organizada e aplicada que foi ganhando os pequenos duelos contra os seus rivais até se ver, subitamente, a lutar pelo titulo. o braço de ferro durou três semanas, até ao encontro com o futuro campeão. A partir daí a luta passou a ser por um regresso à Champions, prova onde o conjunto não está desde que venceu o seu último titulo em 1995. Missão cumprida às custas de Lille e Monteplier. Os de Rudy Garcia, apoiados por Cabaye e Hazard, fizeram uma época excepcional e mereciam algo mais, tendo deixado no entanto boas indicações para a próxima época. Já o Monteplier, sensação durante a primeira ronda, foi perdendo gás sem tropeçar e conseguiu um posto europeu inesperado para quem arrancava a época com o temor da despromoção. Foi um ano redondo, especialmente depois da péssima época do eterno rival de Toulouse.

 

Atrás do conjunto europeu ficaram os de sempre. Desde os decepcionantes AS Monaco e PSG, que continuam a arrancar, ano após ano, com altas expectativas, para terminar sempre em terra de ninguém. Surpreendente foi mesmo o ano do modesto Lorient, do goleador luso-francês Kevin Gameiro, que se sagrou melhor da prova a par de Niang. O conjunto do noroeste lutava para não descer mas acabou a meros cinco pontos de um lugar europeu. No extremo oposto o Toulouse, de Gignac e Sissoko, que dos sonhos europeus da época passada passou a sofrer com o espectro da despromoção, que só evitou a poucos jogos do fim. Despromovidos acabaram mesmo por ser Grenoble, Bologne e Le Mans. A equipa orientada no inicio do ano por Paulo Duarte não resistiu aos maus resultados enquanto que Grenoble e Bologne passaram o ano sempre em postos de despromoção, nunca dando ideia de poder inverter a tendência negativa.

Para o próximo ano todas as cartas estão na mesa. O Bordeaux, sem Blanc, terá de recomeçar do zero enquanto que o Lyon ameaça reforçar-se à altura do desafio. Caberá ao Olympique Marseille tentar repetir o feito de 1991, a última época em que logrou o bicampeonato. Vinte anos espaços no tempo numa liga sempre emocionante.



Miguel Lourenço Pereira às 15:32 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO