Quarta-feira, 28 de Abril de 2010

São as visões opostas do futebol. Um técnico que gosta de ser o centro das atenções contra um homem que se recusa a dar entrevistas e fala só no colectivo. Um amante do jogo de toque, disciplina, herdeiro da tradição holandesa do "Futebol Total". Um técnico que sabe como ninguém ocupar os espaços, controlar o cronómetro, escolher o ritmo, fatigar para ganhar. São os dois melhores generais do futebol e só um deles poderá seguir para a batalha final.

Não houve na história do futebol um conto de ascensão vertiginosa tão súbita como Josep Guardiola.

Um dos melhores jogadores espanhóis da história, o médio centro lançado aos 18 anos por Johan Cruyff, tornou-se no treinador da moda. Todos gostam dele. Do seu estilo despreocupado. Da sua honestidade face aos rivais. Da forma como encara o jogo e como procura sempre algo mais do que a vitória: o espectáculo. No seu primeiro ano como treinador orientou a equipa B do Barcelona e levou-a da III para II Divisão B. No Verão, acossado pelos criticos e com Rijkaard a sair pela porta pequena, Joan Laporta ofereceu-lhe o posto de técnico. "No tendrás cojones", disse-lhe Pep. Mas teve. Depois de um Verão repleto de polémica e de uma derrota no jogo inaugural nasceu o Pep Team. Aproveitando duas pérolas do emergente Sevilla, o defesa Dani Alves e o médio Keita, e a cantera da Masia que o técnico conhecia tão bem, Guardiola incutiu um espirito ganhador numa equipa que já tinha vencido tudo e tinha caído na mais pura decadência. Foi um ano inesquecível coroado com a vitória em Madrid por 2-6 frente ao eterno rival e em Roma, onde o Barça voltou a sagrar-se campeão da Europa. Guardiola era o homem do momento.

Agora, um ano depois, muitas coisas mudaram.

O simpático Pep está mais cinico nos comentários. Utiliza a tipica jerga dos técnicos, falando de árbitros, teorias da conspiração e queixando-se de tudo e nada. Messi, convertido em falso avançado, acapara os titulos do melhor do Mundo mas continua a ser Xavi quem pauta o jogo. A equipa abandonou o 4-3-3 por um 4-2-3-1 mais flexível. E de ter ganho todos os trofeus (6) num só ano, o Barcelona está perto de ficar a zero. Os nervos estão à flor da pele e o Camp Nou contém a respiração. O "Principe" do futebol de toque, o homem que recuperou o jogo bonito e deu-lhe uma consistência defensiva que nem nos dias do Dream Team Cruyff ou do Brasil de 82 chegou a ter, está numa encruzilhada. Já nem tudo brilha no horizonte.

 

Do outro lado da barricada atravessa o mar um exército disciplinado, férreo e disposto a morrer pelo seu general.

Um estatuto que Mourinho ganhou nas suas diversas campanhas de guerra. Desde que irrompeu no União de Leiria que Mourinho mostrou ser especial. Com aquela equipa de remendos montou um conjunto espantoso. Transformou o decadente FC Porto em rei da Europa em dois anos, perdendo menos do que qualquer outro técnico. Em Londres fez história, levando o Chelsea a um titulo que há 50 anos que não saboreava. E em Milão, bem, em Milão outro tipo de história espera-o. Mourinho é provavelmente o melhor treinador da última década. Falta-lhe talvez uma segunda Champions para o fazer destacar dos seus rivais. Uma Champions que procura desesperadamente. Para ele o único verbo que sabe conjugar é o ganhar. Na época passada o Inter venceu o Calcio mas caiu logo na Champions. Não havia ali um ADN ganhador. O sadino sabia-o. Mas esperou. No Verão fez negócios cirúrgicos. Sneijder, Motta, Milito, Etoo, Lucio, todos eles chegaram em boa hora. Pandev e Mariga vieram ajudar no Natal. Mas o colectivo já estava montado. Acusado de técnico resultadista e defensivo, a verdade é que Mourinho não procura o espectáculo. Procura ganhar. Não admite vencer um jogo por 5-0 e empatar o seguinte quando pode ganhar os dois por 1-0. Assim se fazem os campeões. Mas também os vilões.

O português, um pouco à imagem e semelhança de Cristiano Ronaldo no terreno de jogo, sina nossa, é o técnico mais odiado do Mundo. O outro lado do espelho de Guardiola. O lado que ninguém gosta de ver. Mourinho fala no "eu" em vez de centrar-se no "nós". Domina o espaço do terreno de jogo de tal forma que extende e comprime um encontro com um ligeiro ajuste. Ninguém muda três vezes de modelo de jogo em 90 minutos. Só ele. E só ele pode travar a irresistível campanha de dominio de um Barcelona que se assemelha muito ao AC Milan de Sacchi, a última formação a vencer por dois anos consecutivos a Taça dos Campeões. O Rei dos bancos tem a sua prova de fogo. Com o Chelsea caiu duas vezes nas meias-finais por erros arbitrais e puro azar. Agora leva para o estádio que o despreza uma vantagem curta mas que terá de saber manobrar. Quem não conhece Mourinho poderá pensar que irá defender. Mas o português quer ganhar. Sempre. E se perder, será com golos. Essa é a sua filosofia.

Com todo o respeito que o Lyon e Bayern merecem, a final da Champions 2009/2010 desenrola-se hoje à noite. Em Barcelona e não em Madrid. Num ambiente de euforia e loucura onde se define o estilo do ano. Haverá quem aposte tudo no futebol espectáculo do Barça que em Milão se viu asfixiado pela teia de aranha neruazzura. Haverá quem acredite que o cinismo no futebol compensa e que Mourinho fará este ano o que ao Chelsea pouco faltou para lograr na época passada. Será dificil que o futuro campeão europeu não esteja hoje no relvado, nessa luta entre o Principe e o Rei à procura de levar para casa o manto de Imperador. Da Europa! 

 



Miguel Lourenço Pereira às 04:08 | link do post | comentar

4 comentários:
De Vitor Zenha a 28 de Abril de 2010 às 11:53
Os dois técnicos da moda... Dois grandes líderes... Duas grandes equipas... O jogo do ano logo à noite!!

De certeza que será um grande espectáculo...

De um lado a "minha segunda equipa", do outro o meu treinador favorito...

Não sei se Mourinho vai ganhar, mas acredito que vai passar à Final encontrando lá um dos seus Profs.

Abraço


De Miguel Lourenço Pereira a 28 de Abril de 2010 às 15:46
Passe quem passe terá um osso duro de roer num velho conhecido.

O Barcelona é melhor equipa e sê-lo-á mesmo caindo. Mourinho é o melhor técnico e sê-lo-á mesmo que seja eliminado.

Hoje o futebol debate grande parte da sua essência. Só poderá ganhar, mas para as equipas em campo perder significará mais do que o fim do Mundo.

um abraço


De Pedro a 28 de Abril de 2010 às 14:04
Miguel,

Texto FABULOSO! É como se a minha mente escrevesse. Do outro mundo!!!

Parafraseando alguém "Se o Inter lê a mente, o Barça toca os corações!"

Amo/odeio Mourinho, mas o Barça põe-nos um sorriso tonto! Sinceramente, quero o Barça!



De Miguel Lourenço Pereira a 28 de Abril de 2010 às 15:47
Pedro,

Obrigado pelas simpáticas palavras.

O Inter constroi, o Barça cria. O Inter escreve uma bela longa prosa. O Barça prefere os romanticos versos. O Inter domina o espaço. O Barça brinca com o tempo.

É o duelo perfeito entre duas formas diametralmente opostas e igualmente mágicas de jogar.

Qualquer um pode perder. O Futebol só pode ganhar.

Um abraço


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Ya existe Avenida Eusebio, Estadio da Luz; NO EXIS...
¡Suerte....!
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO