Quarta-feira, 17 de Março de 2010

Tinha prometido. E já nos habituou a cumprir as suas promessas. Toda a gente sabe que em Stamford Bridge ganha Mourinho. E assim foi. O Chelsea foi totalmente neutralizado pelo homem que lhes deu forma e vida. Se antes do jogo Mourinho cumprimentou um por um os seus antigos jogadores, no final preferiu sair antes dos 90 minutos para não ter de ver ninguém. Mais do que o futebol, Mourinho sabe mexer com as emoções. E ontem deixou dois clubes rendidos a seus pés.

Em dois jogos o Chelsea não soube vencer o Inter.

A equipa inglesa era a máxima favorita para levar o trofeu. Mas, uma vez mais, vê o seu sonho adiado. Da forma mais irónica possível. Drogba voltou a ser expulso. Espelho todos os anos da desilusão de uma geração inesquecível na história dos blues que vê o tempo passar e o titulo máximo escapar-lhe por entre os dedos. Uma vez mais. Mas se houve uma dose a injustiça nas duas últimas derrotas (o tropeção de Terry, o golo de Iniesta depois de uma arbitragem lamentável), desta vez não há apelação possível. O Inter, esse Inter que todos desprezavam, foi superior. Em 180 minutos foi melhor. Ontem, também o voltar a ser. À sua maneira. Não precisou de ter a bola para controlar o jogo. Limitou-se a controlar o ritmo e os espaços. Asfixiou o Chelsea sem deixar de lhes entregar a iniciativa. Soube acelarar e travar a cada indicação do seu maestro. Poderia ter perdido, o futebol muitas vezes é assim. Mas acabou por ganhar. Num desses exercicios de contra-ataque eximios apontou o golo que ninguém esperava ver. Mas a eliminatória, controlada até então, tinha sido decidida antes. Antes do principio do desafio. Mourinho tratou disso.

No final do encontro Stanley Collymore, antigo internacional e actual comentador, era um dos muitos britânicos rendidos, uma vez mais ao "Special One". Na sua análise ao jogo não parava de traçar um paralelismo entre Ancelotti e Mourinho. Se o primeiro parecia de pedra, Mourinho foi um vulcão em contenção. Mas a ferver. Tal qual um general, manteve as tropas em sentido. Foi ajustando as peças à medida em que o jogo ia mudando lentamente. O italiano, que se junta à longa lista de técnicos falhados (onde também está o português) na busca pelo santo Graal, teve a sua quota de responsabilidade. Montou uma equipa demasiado similar à do jogo de Milão. Não surpreendeu, não aproveitou os pontos fracos dos italianos. Repetiu a cassete. Uma cassete que Mourinho sabe de cor. Foi ele que a fez. Ao contrário, o Inter surpreendeu. Alinhou com 3 avançados no onze titular. Mas que em campo se comportavam pouco como tal. Dando total liberdade a Wesley Sneijder - o melhor em campo - o técnico abriu o jogo a seu belo prazer. Etoo e Milito iam trocando na frente, ora um descia para recuperar as bolas, ora subia para importunar o estreante Turnbull. Pandev, o macedónio irrascível, era um quebra-cabeças que mudava de sitio a cada ordem do seu técnico. No meio o Cambiasso e Thiago Motta estancavam as ofensivas débeis dos blues. Que nunca se encontraram. Talvez Collymore tenha razão. O gesto de, em pleno tunel, apertar a mão e abraçar-se a cada um dos seus antigos jogadores, para depois subir só ao relvado e receber um banho de multidão, que gritava o seu nome, desequilibrou a contenda a favor do português. Parecia que Mourinho estava realmente em casa. Nunca se viu um ambiente a favor da equipa nas bancadas. Pelo contrário, os próprios adeptos pareciam encantados. Por um feitiço especial.

O Inter soube conter o arranque ofensivo do Chelsea e rapidamente tomou controlo da situação. Deixou a bola rolar no meio-campo, recuou as linhas ofensivas obrigando a defesa inglesa a subir. E aproveitou os contra-golpes. Por quatro vezes os avançados italianos estiveram perto do golo. Mais do que o ataque continuado, mas inconsequente, do Chelsea. A barreira defensiva de Mourinho travava os lances antes de que estes se tornassem verdadeiramente um perigo. Julio César acabou por ter pouco trabalho. Num desses contra-golpes, ao minuto 78, Sneijder descobriu um desses buracos que os blues deixavam no seu meio-campo. A velocidade de Etoo, perdulário até então, ditou o resultado final. Dois "dispensados" dos grandes de Espanha a provarem o quão enganados estavam os seus respectivos técnicos. Mourinho queria comemorar mas conteve-se. Sabia que tinha feito história "no seu estádio".  Quase todos os adeptos do Chelsea no final lamentaram a espiral negativa do clube desde a sua saída. Quatro técnicos em três anos e uma FA Cup nas vitrines. Uma geração notável desaproveitada, ofuscada pelo Manchester United. Mourinho já avisou que gostaria de voltar à sua antiga casa. A sua declaração de amor e a sua postura antevêm esse desejo reprimido. Mas, até lá, cabe-lhe fazer história em Itália. Onde não deverá ficar mais do que uns meses.

O Inter é agora um quebra-cabeças para qualquer rival. Com a queda de Chelsea e R. Madrid, e tendo em conta que hoje o Barcelona deverá qualificar-se, os favoritos começam a escassear. Dependendo do sorteio de sexta-feira, o Inter está agora nas bocas do Mundo. Ultrapassou o "karma" dos oitavos, bateu um rival teoricamente superior e voltou a mostrar que é algo mais do que os analistas querem fazer crer. Madrid já esteve mais longe. 



Miguel Lourenço Pereira às 09:12 | link do post | comentar

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO