Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Quando se olha para trás a selecção do Egipto desta década entrará nos registos como um dos maiores case-studies da história do jogo. Dominadora absoluta do continente africano sem nunca ter pisado os pés de um Mundial. Os que pensavam que a eliminação diante da Argélia tinha terminado com o reino dos faraós estavam bem enganados. O implacável Egipto voltou a mostrar o seu rosto mais temível e trucidou a Argélia. A coroa de África espera-os. Outra vez...

Será a terceira final consecutiva dos egipcios. Pode significar também um tri histórico. Nunca nenhuma equipa venceu tantas vezes seguidas a prova. E merecidamente. Ainda falta um jogo mas parece um trâmite. Nenhuma equipa se exibiu ao nivel do Egipto neste torneio angolano. Nenhuma equipa esteve perto, sequer, de roçar o nível dos Faraós. Seguros a defender, controladores a meio-campo, letais no ataque. Frente à Árgelia voltaram a ser iguais a si próprios e libertos de velhos fantasmas fizeram o que em três jogos não lograram na fase de qualificação: impor-se claramente diante dos Fenecs.

É extremamente curioso que o onze argelino, que voltou a mostrar todas as suas debilidades, tenha garantido precisamente o passaporte mundialista à custa dos egipcios. Como sucedeu há quatro anos com a Costa do Marfim e há oito com o onze do Senegal. Equipas mais débeis que na hora da verdade deram a estocada final. E sempre que cairam os egipcios ergueram-se. E fizeram do torneio continental o seu feudo inexpugnável.

 

Sem Aboutrika e Mido, duas figuras nucleares da selecção egipcio dos últimos dez anos, o Egipto manteve-se fiel à sua filosofia. Rápidos laterais - o genial Moawab  é, claramente, um dos melhores laterais-esquerdos do futebol mundial - e avançados móveis e contundentes. Se os Quartos-de-Final foram totalmente de Hassan, hoje o jogador mais internacional da história, as Meias-Finais pertenceram a Zidan. O médio O jogo arrancou extremamente equilibrado, com El Hadary a voltar a brilhar para a história. Os remates venenosos dos argelinos não perturbaram os egipcios que continuaram a sua série de ataques à área argelina. Num desses lançamentos rápidos o demoniaco Motaeb isolou-se diante de Chaouchi antes de ser derrubado por trás por Halliche. O central do Nacional viu o segundo amarelo e acabou expulso. O penalty de Hosny fez justiça ao marcador e a primeira-parte acabava com a superioridade egipcia no terreno e no marcador. 

 

O quadrado mágico egipcio a meio campo de Hassan Shehata, o grande maestro dos bancos africanos, voltou a encantar. A rápida circulação de bola e o apoio dos laterais-ofensivos desnorteou por completo os dez argelinos que começaram a perder a cabeça. Zidan pautou o jogo ofensivo do Egipto e pouco passados os 60 minutos matou o jogo com um golo repleto de oportunismo e talento. Um golo que matou o jogo e levou a Argélia a actuar, precisamente, como queriam os egipcios. Em vez de tentarem reduzir os argelinos passaram a última meia-hora em entradas violentas que levou o árbitro a expulsar mais dois jogadores. O Egipto agradeceu, marcou mais dois tentos, e consumou a doce humilhação. Nunca numa meia-final da CAN os egipcios tinham sentido tantas facilidades para marcar o bilhete da final. E se o Gana se está a revelar uma equipa mais europeizada - com um sólido sector defensivo e um bom aproveitamento do contra-golpe - a verdade é que a CAN 2010 voltou a provar que em África quem continua a mandar são os egipcios. Por muito que estranhe ao mundo.

A selecção dos Faraós é, provavelmente, junto com a Rússia, a melhor selecção que não irá ao Mundial da África do Sul. Duas selecções magnificas e eliminadas num duro play-off que explica muito a incerteza mágica de que se reveste o jogo. Mas um dominio como o que têm imposto os egipcios ao longo da última década não é habitual. E para a história ficarão sempre Hassan, Zidan, Aboutricka, Motaeb, Moawab, El Hadady, Abdelshafi, Gedo, Hosny e companhia. Uma geração magica que por razões que a própria razão desconhece nunca conhecerá o palco de um Mundial.



Miguel Lourenço Pereira às 09:13 | link do post | comentar

1 comentário:
De Ricardo a 30 de Janeiro de 2010 às 18:57
Grande legado de Manuel José. O Egipto é uma selecção que me cativou desde a última CAN.

Tenho uma proposta para um futuro artigo. E que tal uma reflexão sobre uma grande mudança que se tem verificado de há 4 anos a esta data: o retorno de jogadores brasileiros ao brasileirão . ;)

Forte abraço


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO