Terça-feira, 26 de Janeiro de 2010

O futebol é um desporto de massas e portanto rende-se facilmente à histeria. São as regras não-escritas do jogo. Num lance de um desafio há muito decidido o cotovelo de Cristiano Ronaldo encontra o nariz de Mtiliga, um defesa da escola antiga do Málaga. O sangue, os protestos, a casmurrice. O português acaba expulso e com a etiqueta de jogador violento sem controlo sobre si próprio. Mas afinal, qual é a verdadeira base do futebol?

Diz Cristiano Ronaldo que não é um jogador violento. É verdade. Que quem está no meio sabe que a expulsão sofrida no passado domingo à noite no frio Santiago Bernabeu é injusta. Também é verdade. E que só quer jogar. Acreditamos. E no entanto o rótulo está colado e será muito dificil de desprender. Em Espanha - e por arrastamento, no resto do Mundo - o extremo português é um jogador irresponsável, violento e egoísta. Todo o contrário do protótipo que a sociedade procura para os seus idolos. Talvez por isso Cristiano viva na corda bamba e saia sempre a perder nas comparações morais com Messi. O argentino é calado, apenas se percebe o que diz e não costuma resmungar. O Mundo toma isso como humildade, essa mesma humildade que a nossa podre sociedade exige aos que sãos melhores para justificar a sua impotência. Ser o melhor e não o dizer para evitar ferir a maioria é o truque. Cristiano Ronaldo ainda não o aprendeu. Dificilmente o fará. Felizmente.

 

A quem diga que tem de aguentar cada soco e pontapé. Que nunca deve responder. Reagir. Ser inerte, uma estátutua. Que a cada golpe deve parar e não devolver o golpe. O olhar. O gesto trapaceiro. Cristiano Ronaldo não é Gennaro Gattuso, um jogador genial mas que busca o confronto como quem busca o pão de cada dia. Nem é Pepe, que perdeu a cabeça sem qualquer antecedente e pagou caro por isso. É um jogador que quer ganhar e está disposto a tudo para isso. Desde quando isso é criticável? Talvez por isso é que haja tão pouca gente disposta a esse sacrificio.

E no meio de tudo isto a jogada é tão simples que surprende o rebuliço. Cristiano Ronaldo arranca no seu meio-campo para o meio campo quase vazio do Malaga. Um defesa despistado agarra-lhe a camisola para impedir o seu avanço no terreno de jogo. 99% dos jogadores teria parado, esperado pelo cartão e deixado o jogo pausar. O número 9 não é dessa estaleca. Continuou a correr, mesmo agarrado, para soltar-se pelos próprios meios de um lance sujo que os árbitros deviam imeditamente punir e nunca o fazem. Beneficiar o infractor no seu pior registo. É assim a "Liga das Estrelas". O campeonato do futebol espectáculo. Num desses movimentos em que se tenta libertar o cotovelo do possante português encontra o nariz do baixo defesa malagueño. O choque é inevitável e a fúria transforma-se em violência. Cai sangue, cai o vermelho. Anedótico.

Talvez seja mais ainda irrisório o lance se nos lembramos que há uma semana o eterno rival do português, o tal argentino que brilha no Camp Nou, arrancou no meio campo adversário agarrado por um defesa sevillista. Durante segundos Messi debateu-se como um leão para se soltar e prosseguir o lance. Com a diferença de que aqui o possante era o defesa e ele o baixito. Cada gesto de impotência era recebido pelo defesa do Sevilla com naturalidade. Não houve sangue, não houve vermelho. Não houve rótulo de violëncia. É assim o jogo.

Ronaldo foi expulso uma vez desde que chegou a Madrid. Num jogo com o Almeria. Onde também marcou dois golos. Recebeu um soco no pescoço, desses que o árbitro nunca vê e que os defesas são peritos em aplicar. Vingou-se com um pontapé que o defesa recebeu com o habitual espectáculo. O resto já se sabe.

O futebol é um desporto leal. Ao contrário do que se possa pensar. E Cristiano Ronaldo é um jogador correcto e sempre o foi. Mas tem caracteristicas que chocam com o socialmente aceite. A sua competitividade leva-o ao extremo facilmente. É daí que saca a sua raça. Mas num mundo de pequenos e pouco ambiciosos seres que se contentam em criticar tudo o que os rodeia, é um alvo fácil. Em Inglaterra começaram por chamá-lo de fiteiro. Com o tempo o extremo ganhou o seu respeito. Odiavam-no porque o respeitavam. Em Espanha, em cada campo que visita, é insultado do principio ao fim pelo público e pelos adversários. Recebe mais golpes do que qualquer outro jogador da liga espanhola. E não desiste. É o estofo de campeão que distinguiu outros enfant-terribles como Garrincha, Maradona ou Cantona. E que fazem dele a estrela que muitos craques tão bem comportados aos olhos dos rivais e dos árbitros nunca conseguirão ser. Uma questão de caracter.



Miguel Lourenço Pereira às 16:52 | link do post | comentar

3 comentários:
De Ricardo a 27 de Janeiro de 2010 às 13:54
Inacreditável. É evidente que ele só estava a tentar libertar-se do adversário que o impedia de prosseguir a jogada. Quem vir a repetição do lance verá que CR não olha para trás e, por isso, não sabe onde acerta (que culpa tem ele de o adversário ser baixinho?).
No futebol, o crime compensa.


De Miguel Lourenço Pereira a 27 de Janeiro de 2010 às 14:21
Compensa mais quando já há toda uma imagem por trás. Haverá jogadores que, façam o que façam, nunca serão punidos. A outros nada é permitido. O CR9 tem razão, quem jogou futebol sabe que:

a) é falta o minuto que o jogador do Malaga o agarra
b) não é agressão, senão a tentativa natural de libertar-se de um agarrão irregular.

Mas hoje em dia as sensibilidades são outras.


De Ricardo a 27 de Janeiro de 2010 às 13:57
O Mourinho é um osso duro de roer e uma espinha entalada na garganta do conformismo e do socialmente aceite e estabelecido. E o que dói mais é ele ter sucesso por onde quer que passe.



Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

Fundamental.
EnfoKada
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


FUTEBOL MAGAZINE. revista de futebol online


Futebol Magazine


Traductor


Ultimas Actualizações

Toni Kroos, el Maestro In...

Portugal, começar de novo...

O circo português

Porta de entrada a outro ...

Os génios malditos alemãe...

Be right back

2014, um Mundial de parad...

Brasil vs Alemanha, o fim...

Di Stefano, o jogador mai...

Portugal, as causas da hu...

Últimos Comentários
ManostaxxGerador Automatico de ideias para topicos...
ManostaxxSaiba onde estão os seus filhos, esposo/a...
En el libro último de Carlos Daniel ni siquiera se...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
.Xavi e o melhor jogador meio campista atual e da ...
Posts mais comentados
69 comentários
64 comentários
47 comentários
Arquivo
.Do Autor
Cinema
.Blogs Portugueses
4-4-2
A Outra Visão
Açores e o Futebol
Duplo Pivot
Foot in My Heart
Futebol Finance
Futebol Portugal
Lateral Esquerdo
Leoninamente
Minuto Zero
Negócios do Futebol
Pitons em Riste
Porta 19
Portistas de Bancada
Reflexão Portista
TreinadorFutebol
.Blogs Internacionais
Os mais destacados blogs internacionais de futebol
.Imprensa Desportiva
Edições Online Imprensa
Aviso

Podem participar nesta tertúlia futebolistíca enviando os vossos comentários e sugestões à direcção de correio electrónico: Miguel.Lourenco.Pereira@gmail.com


Bem Vindos a Em Jogo...


Nota



O Em Jogo informa os leitores que as fotos publicadas não são da autoria do weblog sendo que os seus respectivos direitos pertencem aos seus legítimos autores.



Siga o Em Jogo através do:

Follow Em_Jogo on Twitter


Em Jogo

Crea tu insignia

Bem vindo!

Categorias

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO